A França [VIDEO]se classificou para as semifinais da Copa do Mundo [VIDEO] após eliminar o Uruguai [VIDEO] por 2 a 0, nesta sexta-feira (6), em Nizhny Novgorod, local onde estiveram 43.319 torcedores. A partida iniciada às 11 horas (horário de Brasília) contou com gols de Varane e Griezmann para carimbar a ida da equipe ganhadora do torneio em 1998.

Mesmo tendo até este embate um gol sofrido e dividir o posto de melhor defesa da competição com o Brasil, que também havia sido vazado em apenas uma oportunidade nos quatro primeiros duelos, a Celeste foi mandada de volta para casa. O forte sistema de marcação não pôde impedir que na bola parada o placar fosse inaugurado e, posteriormente, na etapa seguinte, um chute sem força e colocação passasse de forma atípica pelo arqueiro Muslera.

Outro fator que contribuiu para a felicidade dos franceses no apito final do espetáculo foi a ausência do craque Edinson Cavani, que nas oitavas contra Portugal havia guardado dois tentos; ele saiu machucado com dor na panturrilha esquerda, no confronto com os lusitanos, e Stuani foi o escolhido para ocupar a posição do número 21.

Por outro lado os europeus tiveram seu desfalque para a decisão, Matuidi ficou de fora devido ao segundo cartão amarelo recebido na disputa contra a Argentina, por consequência foi suspenso, Corentin Tolisso foi seu substituto.

Óscar Tabárez, Técnico uruguaio que completou 20 jogos dirigindo a seleção do seu país em Copas, escalou seu time no 4-4-2, com Muslera, Laxalt, Godín, Gímenez, Cáceres, Vecino, Torreira, Bentancur, Nández, Stuani e Luis Suárez. Já os Bleus, comandados por Didier Deschamps, vieram postados no 4-3-3, com Lloris, Lucas Hernández, Umtiti, Varane, Pavard, Tolisso, Kanté, Pogba, Griezmann, Mbappé e Giroud.

Jogo

No princípio do encontro a primeira tentativa foi da Celeste Olímpica, aos quatro minutos: Luis Suárez participou de lance com Stuani, que finalizou cruzado, porém sem exatidão no arremate a chance foi perdida, passando à direita da meta de Lloris. Em resposta Mbappé quase deixou o dele de cabeça, aos 15’, Giroud passou a bola para o companheiro livre dentro da área, o camisa dez errou na impulsão e acabou concluindo por cima do travessão.

O atleta de 19 anos do Paris Saint-Germain seguia dando trabalho, sua habilidade e velocidade não permitiam que a zaga rival tivesse um momento de tranquilidade. Laxalt, lateral-esquerdo escolhido para marcá-lo, sofreu para acompanhar o ritmo acelerado do craque.

Depois de ficarem sem preocupar os arqueiros, surgiu uma falta próxima à área, cometida por Bentancur em Tolisso; no levantamento de Griezmann, Varane, esperto, se antecipou em relação ao Stuani, e cabeceou dando uma casquinha na bola... ela foi parar no fundo do gol, 1 a 0, aos 39’.

Sentindo o impacto do golpe o Uruguai buscou empatar rapidamente, mas Lloris fez grande intervenção para manter a vantagem, aos 43’. No levantamento Cácerez testou no canto e o goleiro foi buscar, Godín ainda teve o rebote, mas isolou a conclusão.

Retornando do intervalo sem alterações, ambas as equipes demonstravam a mesma entrega para não deixar espaços na zaga. Inesperadamente o segundo gol da semifinal ocorreu por uma falha cometida pelo defensor Fernando Muslera, ele tentou espalmar um chute de Antoine Griezmann, aos 15’, no entanto a redonda acabou dentro do gol, 2 a 0.

Com a contagem ampliada pelos franceses, a dificuldade para chegar à igualdade crescia, Cristian Rodríguez que havia entrado no lugar de Bentancur, arriscou de longe, aos 18’, mas sem êxito, passando perto da trave. Mesmo com algumas discussões durante a etapa final e entradas ríspidas dos dois selecionados, os quatro atletas pendurados da França não foram advertidos: Pavard, Pogba, Giroud e Tolisso estão livres para atuar na próxima fase.

Tolisso, inclusive, quase fez o terceiro, aos 27’, ele recebeu com liberdade e procurou acertar a gaveta, entretanto a bola foi alta de mais e saiu pela linha de fundo. Griezmann ainda cobrou uma falta, aos 43’, contudo ela tomou o mesmo rumo da finalização anterior. O árbitro argentino, Néstor Pitana, encerrou o clássico, aos 49’.

Com o resultado positivo a seleção francesa voltou a vencer o Uruguai após 33 anos, o último sucesso enfrentando os rivais havia ocorrido em 1985, por 2 a 0, em Paris. A nação europeia jogará a semifinal, na terça-feira, dia 10, às 15h (horário de Brasília), em São Petersburgo e encara a Bélgica, que desclassificou o Brasil por 2 a 1, na Arena Kazan.

Substituições

  • Uruguai: Stuani por Maximiliano Gómez, Bentancur por Cristian Rodríguez e Nández por Urretaviscaya.
  • França: Tolisso por N'Zonzi, Mbappé por Dembélé e Griezmann por Fekir.

Cartões amarelos

  • Uruguai:Bentancur e Cristian Rodríguez.
  • França: Lucas Hernández e Mbappé.