Um dos principais destaques da seleção da Croácia que fez história ao se classificar para sua primeira final de Copa, o meia Luka Modric vibrou muito com a vitória por 2 a 1 sobre a Inglaterra [VIDEO] na semifinal da Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Depois da partida vencida pelos croatas na prorogação no Estádio Lujniki, Modric criticou o que chamou de “besteiras” e um suposto clima de vitória antecipada criado por parte da imprensa inglesa.

O meia afirmou que é preciso respeitr as outras equipes, afirmando que a seleção croata estava confiante que faria uma boa exibição. “Nós estávamos concentrados. Claro que é uma motivação quando falam tantas besteiras, te motivam ao máximo”, disse o jogador do Real Madrid, que destacou a força de sua equipe.

Questionado sobre suas chances de concorrer ao prêmio de melhor jogador do mundo na temporada, a Bola de Ouro, Modric foi cético. Para ele, no momento tudo o que importa é tentar conquistar o inédito título da Copa para a Croácia. A equipe dos Bálcãs enfrenta a França [VIDEO] no próximo domingo, dia 15, a partir das 12h de Brasília, também no Estádio Lujniki, em Moscou.

A adversária é uma antiga conhecida dos croatas. Isso porque, na melhor participação da seleção em Copas até aqui, a França foi justamente a algoz. As equipes se enfrentaram na semifinal da Copa de 1998, quando a França levou a melhor e acabou conquistando o título na final em cima do Brasil. Na ocasião, a Croácia disputou e venceu o terceiro lugar contra a Holanda. Agora, ao chegar a final, o time de Modric já conseguiu sua melhor participação na história do torneio.

A classificação da Croácia da final também surge com uma curiosidade a mais. A equipe disputou a prorrogação em todas suas partidas eliminatórias até aqui, passando pela Dinamarca nos pênaltis nas oitavas, pela Rússia também nos pênaltis nas quartas e pela Inglaterra na prorrogação na semi. Contando as três disputas extras de 30 minutos, o time jogou 90 minutos a mais que a França na competição, equivalente a um jogo a mais.

Além disso, o time realizou sua partida da semifinal um dia após a França, o que representa um dia a menos de recuperação para a final. Ao julgar as declarações e a empolgação de Modric, o fato não parece ser de grande importância para os croatas, que, depois de alcançarem o voo mais alto de sua história em Copas, querem fazer ainda mais e, quem sabe, chegar a um inédito e inesperado título mundial.