Em fevereiro deste ano, o Corinthians realizou a eleição que teve Andrés Sanchez eleito. Pouco tempo depois, o candidato da oposição, Paulo Garcia, entrou com uma ação criminal, pois, segundo ele, havia suspeita de fraude. Com isso, a Polícia Civil deu início às investigações.

Vale destacar que o principal fato que está sendo investigado é uma falha de segurança, que foi detectada pela empresa Dynamics Perícias, contratada pelo candidato Paulo Garcia, que acabou ficando em segundo lugar.

Investigação descobre diferença de 25 votos

Além da Dynamics Perícias, outra empresa também atuou nas investigações. A Perícias Informática, contratada pela Comissão Eleitoral do Corinthians [VIDEO] e o Instituto de Criminalística, também agiram em prol das investigações.

No entanto, foi a Dynamics que detectou irregularidade.

As dúvidas em relação à veracidade da eleição ocorrida em fevereiro começaram a surgir após um levantamento que apontou uma diferença de 25 votos entre os que foram apurados e quantidade de sócios presentes que assinaram a lista.

Outro fato de extrema importância que pode indicar uma possível fraude é que, um dia antes da eleição, os fiscais e auditores checaram um sistema de votação e, após isso, o computador foi lacrado e gerou um código. Ao checar as máquinas após a eleição, esse número apareceu diferente.

Perícia aponta fragilidade na rede Wi-Fi

Nos dias de hoje, a internet tem papel fundamental na sociedade. Na eleição do Corinthians [VIDEO] não foi diferente. O clube utilizou uma rede Wi-Fi para registrar os votos. Contudo, essa rede foi considerada vulnerável, o que dá facilidade a um possível acesso de terceiros.

Apesar do código do computador estar alterado, a Perícias Informática ressaltou que isso aconteceu por causa de um funcionário da Telemeeting, e o problema não foi corrigido a tempo devido a confusão após o anúncio da vitória de Andrés Sanchez.

Durante as investigações, a perícia deixou bem claro a fragilidade na rede Wi-Fi que foi utilizada para a contagem dos votos. Em contrapartida, não houve irregularidade em relação a alteração dos códigos, pois isso aconteceu antes da eleição iniciar.

Audiência e possível anulação da eleição

Foi determinado pela Justiça que acontecerá uma audiência no dia 27 de agosto. De início, o principal objetivo é ouvir funcionários da Telemeeting que estiveram presentes no dia da eleição.

Caso seja comprovada alguma irregularidade, será preciso que algum membro da oposição de Andrés Sanchez entre com uma ação judicial. Sendo assim, existe a possibilidade da eleição ser anulada e uma nova votação ocorrer.

Acompanhada da possibilidade de uma nova eleição tem o risco de prisão.

Isso se enquadra para os responsáveis da Telemeeting. O artigo 66 do Código de Defesa do Consumidor prevê pena de até um ano de prisão mais pagamento de multa.

Não só os responsáveis da Telemeeting podem ser presos. Caso alguém do clube tenha participado dessa possível fraude, há o risco de punições e expulsão em definitivo do Sport Club Corinthians Paulista.