A seleção brasileira de Vôlei feminino amargou a quarta derrota consecutiva para os Estados Unidos. Com o placar de 3x1, as norte-americanas demonstraram estar num ritmo de preparação acima do Brasil. Ambas as equipes se preparam para o Campeonato Mundial de Vôlei, que começa no dia 29 de setembro. O passe instável, principalmente da líbero Gabiru, foi o principal motivo de mais uma queda da equipe comandada pelo técnico José Roberto Guimarães.

Jogo

A seleção brasileira entrou em quadra com Roberta (levantadora), Rosamaria e Gabi (ponteiras), Thaísa e Bia (meias-de-rede), Tandara (oposta) e Gabiru (líbero).

Publicidade
Publicidade

O primeiro set bastante equilibrado foi vencido pelas norte-americanas nos detalhes. As duas equipes oscilaram, com muito erros de saque e de passe.

A seleção brasileira se recuperou no segundo set da partida, batendo as americanas por 25x18. O melhor momento do time em toda série contra os Estados Unidos.

O equilíbrio voltou a marcar o terceiro set do jogo, sendo vencido pelas norte-americanas com diferença mínima. O Brasil chegou a estar a frente no marcador, mas a oscilação nos passes e a falta de aproveitamento nos contra-ataques permitiu que as adversárias fechassem a parcial.

O quarto set foi para ser esquecido. Com muita dificuldade na virada de bola e a entrega de muitos pontos pelos erros de passe fizeram as comandadas de Karch Kiraly atropelarem as brasileiras num sonoro 25x13. Até mesmo Gabi, que foi uma das melhores da partida, tomou vários bloqueios e cometeu erros de passe. Sem a bola nas mãos, a levantadora Roberta fez um jogo previsível e bastante marcado pelo time dos Estados Unidos.

Atletas

A recuperação de Thaísa foi o grande motivo de comemoração do jogo.

Publicidade

Rápida no ataque, fazendo importantes bloqueios, a atleta mostrou que chegará inteira no Campeonato Mundial.

Diferente do terceiro jogo, quando entrou como titular, Dani Lins foi pouco acionada na partida. Entrou apenas nas inversões de jogo, fazendo uma participação discreta. Roberta não teve uma atuação de destaque, mas os passes impediriam qualquer levantadora de distribuir bem as jogadas.

Gabi foi o grande nome por parte da seleção brasileira.

Rodou muitas bolas e ajudou no passe quando foi acionada. Em forma, poderá ser titular no Mundial, disputando vaga com Fernanda Garay e Natália.

Gabiru, ainda sem ritmo de jogo, voltando de lesão, atuou mal. Apesar de fazer algumas defesas difíceis, foi o ponto fraco do passe.

Rosamaria e Amanda se revezaram em vários momentos da partida. Rosamaria mais forte no ataque, mas espirrando muito a bola nos passes. Amanda ajuda mais na composição, mas define poucas jogadas e também cometeu erros no passe.

Publicidade

Bia fez a sua melhor partida na série, mas não atuou o jogo inteiro, sendo substituída em um set por Carol e em outro por Adenísia. Sem o passe refinado, foram pouco acionadas nos ataques.

O fraco desempenho acende um sinal de alerta a pouco tempo antes do Campeonato Mundial. Único título ainda não vencido pelo Brasil.

Leia tudo