Anúncio
Anúncio

O São Paulo ganhou por 2 a 0 da Chapecoense, no estádio do Morumbi, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, neste domingo (19). Esse resultado permitiu a retomada do topo da tabela e a distância de três pontos em relação ao Internacional, segundo colocado.

Um pouco mais cedo, às 11h (Brasília), os colorados levaram a melhor em cima do Paraná, no Beira Rio. O gol da vitória aconteceu no fim, aos 50’ do segundo tempo, com Camilo cobrando falta. Esse resultado deu a liderança provisória do torneio aos Gaúchos. Porém, o time de Diego Aguirre emplacou seu quarto triunfo seguido no nacional e reconquistou o primeiro lugar.

Para o espetáculo contra a Chape, algumas novidades estiveram na escalação.

Anúncio

De acordo com o técnico uruguaio, Diego Aguirre, em entrevista coletiva, foi necessário alterar certos nomes: “Este planejamento foi feito junto com a comissão, para evitar risco de contusão e preservar o rendimento da equipe, além de motivar os que estão na reserva, viajamos muito nos últimos dias”. O esquema adotado foi o 4-2-3-1. A escalação foi composta por Sidão, Bruno Peres, Arboleda, Bruno Alves, Edimar, Jucilei, Liziero, Shaylon, Everton Felipe, Everton e Diego Souza.

Reinaldo, Hudson, Rojas e Nenê ficaram como suplentes, devido à intensidade empregada nos compromissos anteriores.

Dirigida pelo treinador Guto Ferreira, a Chapecoense, que tinha um histórico favorável enfrentando o Tricolor fora de casa, com três empates e uma vitória, veio a campo no 4-4-2, com Jandrei, Eduardo, Rafael Thyere, Douglas, Alan Ruschell, Canteros, Márcio Araújo, Amaral, Diego Torres, Bruno Silva e Wellington Paulista.

Anúncio

Os catarinenses vinham de três partidas sem perder, dois empates e uma vitória, e buscavam pontuar contra o São Paulo fora de casa, mesmo com a pressão contrária exercida pelos 41.075 torcedores.

Jogo

De maneira rápida, os donos da casa saíram na frente do placar com Shaylon, se colocando bem dentro da área, aproveitando ótimo passe de Edimar, aos 2 minutos do primeiro tempo, 1 a 0.

A Chape tentava revidar o ataque sofrido, mas os atacantes eram impedidos de dar continuidade aos lances ofensivos. Estreante no Cícero Pompeu de Toledo, Everton Felipe aplicou um lindo chapéu em Diego Torres, aos 18’.

Na boa trama feita por Canteros e Wellington Paulista, aos 39’, os visitantes quase empataram.

Anúncio

O camisa oito ajeitou de cabeça, e o centroavante finalizou de primeira.

Na etapa final, o equilíbrio entre as agremiações persistiu, assim como o desempenho de Arboleda e Bruno Alves nos desarmes. Os dois fizeram coberturas importantes para os laterais e formaram uma resistência bem difícil de ser transposta, sem deixar espaços.

Um momento de perigo envolvendo Thyere e Jandrei ocorreu aos 20’, Rojas, que substituiu Everton Felipe, cruzou e o zagueiro tirou mal, o arqueiro se apressou e salvou o gol contra em cima da linha.

Outro atleta que veio do banco e contribuiu para o êxito são-paulino foi Hudson. Liziero deixou o gramado para que ele entrasse. Aos 37’, Joao Rojas acertou a assistência para que Hudson fizesse um golaço de chapa no ângulo, 2 a 0.

Com essa jornada feliz, o Tricolor bateu seu recorde na história do campeonato de pontos corridos. Até esse período da disputa (metade do torneio), somou 41 pontos. Em 2007, ano do pentacampeonato, o Tricolor fez 40.

O próximo embate do São Paulo é contra o Paraná, quarta-feira, às 19h30, na Vila Capanema. Já a Chapecoense encara o Atlético Paranaense, na Arena Condá, no mesmo dia e horário (ambos os jogos pelo horário de Brasília).

Substituições

  • São Paulo- Liziero por Hudson, Everton Felipe por Joao Rojas e Shaylon por Nenê.
  • Chapecoense- Diego Torres por Yann Rolim, Bruno Silva por Leandro Pereira e Amaral por Osman.

Cartões amarelos

  • São Paulo- Bruno Alves e Hudson.
  • Chapecoense- Wellington Paulista.