Na tarde desta quarta-feira (5), o Fluminense encerrou, no CT Pedro Antônio, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, a sua preparação para o compromisso de quinta, às 19h (de Brasília), no Maracanã, diante do Vitória-BA, válido pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. Sem contar com a presença dos jornalistas, o técnico Marcelo Oliveira, após os jogadores fazerem um trabalho físico, dirigiu uma uma atividade tática, enfatizando as bolas paradas, tanto defensiva quanto ofensivamente. No fim, treinamento de finalizações e cruzamentos.

Publicidade

A escalação só será divulgada momentos antes do início da partida. Em relação ao domingo passaso (empate de 1 a 1 com o São Paulo), o time terá algumas mudanças. Na zaga, Gum, que cumpriu suspensão pelo terceiro cartão amarelo, retorna na vaga de Ibañez. A outra é no meio. Com a ausência de Junior Sornoza, que está na seleção do Equador para dois amistosos (dias 07 e 11 de setembro, contra, respectivamente, Jamaica e Guatemala), a tendência é pela entrada de Daniel Simões, especialista da função, mas os atacantes Luciano e Everaldo podem ser improvisados na posição.

Nesse último caso, Matheus Alessandro entraria para formar dupla com Kayke, o substituto de Pedro, que continua se recuperando de um estiramento no joelho direito.

Enquanto isso, fora das quatro linhas, a crise segue nas Laranjeiras. Com enormes dificuldades financeiras, o Fluminense não paga salários há dois meses e outros três de direitos de imagens aos jogadores. Em entrevista concedida antes do treino, o volante Richard assegurou que o grupo tenta deixar os problemas de lado ao entrar no gramado, mas não esconde a insatisfação e praticamente exigiu um posicionamento oficial da diretoria.

Publicidade

"É o nosso ganha pão. Não tem como ficar pensando nisso e ficar se cobrando por dentro. É algo que a direção tem de resolver. Temos de tentar deixar de lado ao entrar em campo. Não pensar nos salários atrasados e nas coisas erradas. Os dias vão passando. A gente quer uma posição do lado de fora. Por mais que a gente esteja focado e eles tenham falado, queremos algo mais concreto", disse Richard.

Além dos salários, o Flu tinha uma pendência com a Amil, que assegurava um plano de saúde para jogadores e funcionários do clube carioca.

Na última segunda, a empresa médica, por conta desse atraso, havia suspendido o contrato, mas, no início da noite, o Tricolor regularizou a situação e garantiu a volta da assistência.

Dois gaúchos e um paulista apitam jogo no Maracanã

Para dirigir o jogo entre Fluminense e Vitória, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), por intermédio de seu sorteio, definiu dois árbitros da Federação Gaúcha e um paulista.

Como árbitro principal, virá Jean Pierre Gonçalves Lima, da Federação Gaúcha. Ele terá, como auxiliares, o seu conterrâneo Leirson Peng Martins e Marcelo Van Gasse, de São Paulo e do quadro da FIFA.

Somando 27 pontos, o Flu ocupa, no momento, o 11º lugar e precisa vencer para não se afastar do G-6 do Campeonato Brasileiro.

Publicidade