O Botafogo foi o dono da posse de bola, mas se mostrou incompetente para estufar as redes, desperdiçando, inclusive, uma penalidade máxima. Sorte do Fluminense que, na base do contra-ataque e aproveitando uma jogada de bola parada, venceu o clássico carioca da 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, realizado na tarde deste domingo, no Maracanã, por 1 a 0.

Com esse resultado, o Tricolor das Laranjeiras, também beneficiado pela derrota do Corinthians para o Palmeiras (1 a 0, no Allianz Parque), assumiu o oitavo lugar da Série A, somando, agora, 31 pontos.

Em contrapartida, o Alvinegro de General Severiano se manteve nos 26 pontos e na 15ª posição, muito próxima da zona de rebaixamento para a Série B.

No próximo domingo, o Botafogo, às 11h (de Brasília), recebe, no Nilton Santos, o América-MG. No mesmo dia, a partir das 16h (de Brasília), o Fluminense, sem Ayrton Lucas, punido pelo terceiro cartão amarelo, terá a difícil missão de, na Arena da Baixada, encarar o Atlético-PR.

Gol marcado logo aos 11 minutos define o clássico

A tônica do clássico já foi demonstrada logo no início: pouca técnica e qualidade, mas muita disposição de ambos os lados. Sofrendo com desfalques importantes, os rivais sabiam da importância do resultado positivo. Por conta disso, não tiravam o pé de nenhuma dividida e tentavam ser o mais vertical possível. Com a bola nos seus domínios, porém, pecavam no trato.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol PaixãoPorFutebol

Mesmo debaixo de tanta carência, o primeiro gol do jogo não demorou a sair. Aos 11 minutos, em cobrança de escanteio de Luciano, a zaga alvinegra cortou mal, Everaldo tentou uma bicicleta e a bola sobrou para Digão. Como um autêntico centroavante, o defensor finalizou sem chances para Saulo.

A vantagem de 1 a 0 fez o Fluminense se fechar no seu campo para, em jogadas de contra-ataques, definir a partida.

Por duas oportunidades, a tática tricolor só não funcionou porque Kayke, o substituto de Pedro, mas uma vez, teve uma atuação apagada.

Enquanto isso, o Botafogo, mesmo tendo mais posse de bola, não tinha contundência ofensiva. A única grande chance alvinegra veio aos 43 minutos. Depois de um cruzamento vindo da esquerda, Kieza, à queima-roupa, cabeceou firme. De forma milagrosa, Júlio César evitou o empate.

O incrível lance no final do primeiro tempo levou o goleiro do Fluminense a se contundir e precisar ser substituído por Rodolfo ainda no intervalo.

No segundo tempo, o Botafogo, atrás no placar, lançou-se mais ao ataque, dando espaço ao Fluminense, que, no entanto, não soube aproveitar para ampliar o resultado e ainda contou com a sorte, quando, aos 38 minutos, Rodolfo, após pênalti infantil cometido por Ayrton Lucas, defendeu a cobrança de Rodrigo Lindoso.

No rebote, Erik mandou por cima do travessão.

Depois do apito final de Leandro Pedro Vuaden, festa dos torcedores do Fluminense e a esperança de dias melhores. Do outro lado, tensão e descrença ainda maior por parte dos botafoguenses.

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE 1 x 0 BOTAFOGO

Competição: Campeonato Brasileiro - Série A (24ª rodada)

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)

Data: 09/09/2018 (domingo)

Horário:16h (de Brasília)

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden, auxiliado por Jorge Eduardo Bernardi e Leirson Peng Martins, todos da Federação Gaúcha

Renda: R$ 231.090,00

Público: 10.969 presentes

Cartão amarelo: Luciano, Digão e Ayrton Lucas (FLU); Marcelo Benevenuto, Marcinho, Moisés e Erik (BOT)

Cartão vermelho: Não houve.

GOL: Digão (11'/1ºT);

FLUMINENSE: Júlio César (Rodolfo), Léo, Gum, Digão e Ayrton Lucas; Richard, Dodi e Jadson; Luciano (Marcos Junior), Everaldo (Matheus Alessandro) e Kayke

Técnico: Marcelo Oliveira

BOTAFOGO: Saulo, Marcinho (Luis Ricardo), Marcelo Benevenuto, Igor Rabello e Moisés; Matheus Fernandes (Rodrigo Pimpão), Rodrigo Lindoso e Gustavo Bochehca; Luiz Fernando (Brenner), Erik e Kieza

Técnico: Zé Ricardo

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo