Anúncio
Anúncio

A piada feita pelo humorista com jogador da seleção francesa Mbappé ainda segue dando dor de cabeça para Júlio Cocielo. Nesta quarta-feira (12), o Ministério Público de São Paulo abriu uma ação a qual os promotores de Justiça de Direitos Humanos Eduardo Valério e Bruno Orsini Simonetti cobram do youtuber R$ 7.498.302 por “dano coletivo social”.

A ação diz ainda que o comunicador digital fez uso das redes sociais para “ofender e violar os direitos humanos, a Constituição Federal e Tratados Internacionais”, e lembrou também comentários racistas feitos por ele no passado, postados de forma sistemática, entre 2010 e 2018. Os promotores também querem a quebra de sigilo bancário de Júlio, com o objetivo de subsidiar a sua condenação na obrigação de pagar a quantia imposta

Entenda o caso

Durante o jogo das oitavas de final da última Copa do Mundo, o qual terminou com vitória da seleção da França por 4 a 2 sobre a Argentina, Júlio, ao se referir à velocidade do jogador francês, teria dito que ele “conseguiria fazer uns (sic) arrastão top na praia”.

Anúncio

A piada pegou mal, e pouco tempo depois ele foi bombardeado nas redes sociais com críticas, e chegou a perder patrocinadores e grande parte de seus seguidores.

Ele também apagou mais de 50 mil postagens com conteúdos considerados racistas e discriminatórios e posteriormente gravou um vídeo com um pedido de desculpas. “Eu tentei me referir a velocidade dele”, disse Júlio. “Foi tão infeliz e mal explicado (o comentário) que acabou ofendendo algumas pessoas”, seguiu. Ele disse ainda que havia aprendido com toda aquela situação e afirmou que, em seu caso, a ignorância foi combatida com conhecimento. “A partir de agora, quero aprender com meu erro”, ressaltou.

Repercussão nas redes sociais

O nome de Júlio Cocielo entrou no final da tarde entre os assuntos mais comentados do twitter, e muitas pessoas se dividiram à respeito do assunto.

Anúncio

Algumas pessoas chegaram a comemorar a abertura da ação, enquanto outros questionaram a razão pela qual ela foi aberta, principalmente por conta do alto valor pedido e também porque outras pessoas, conhecidas da mídia, que fizeram comentários dessa natureza, não terem ações movidas contra ela.

Dentre os famosos que se manifestaram nas redes sociais está o Danilo Gentili, que não por poucas vezes, foi alvo de processos. O apresentador do SBT escreveu que estava formando um “Instituto de Defesa da Liberdade de Expressão” e que em breve daria mais detalhes. A inciativa ganhou o apoio de diversos seguidores.