O jogador do Palmeiras, Felipe Melo, pode ser alvo de um julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por ter apoiado o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro em uma entrevista à Rede Globo dada ao sair de campo, no término da partida. O jogo foi entre Bahia e Palmeiras, que aconteceu no domingo (16).

Melo falou declarou: "esse gol vai para o nosso futuro presidente, o Bolsonaro". Depois, entrou no resumo do jogo e disse que foi importante manter o time nessa sequência de não perder. O jogo ficou 1 a 1 [VIDEO]e o gol dele foi dedicado ao deputado federal.

Esse tipo de manifestação política não está descrita em nenhum artigo do Código Brasileiro de Justiça Desportivo (CBJD), entretanto, a procuradoria do STJD acredita que o jogador deveria receber uma punição por esse fato.

O órgão teme que essa manifestação de Melo abra espaço para que outros jogadores também se manifestem e o futebol vire um caso de pronunciamento político. A ação do jogador palmeirense foi um caso novo para o tribunal. Se isso "pegar", muitos outros jogadores podem copiar a sua forma de declaração e isso acabar virando um tipo de "marketing político".

Avaliação da conduta

O procurador do STJD, Felipe Bevilacqua, concedeu uma entrevista à Folha de São Paulo e explicou que o tribunal precisa analisar se a conduta dele foi correta ou deve ser punida. Ele defende que tudo seja cautelosamente avaliado para que não cause transtornos futuros.

Um dos artigos do código desportivo (258) esclarece que qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva prevê penalidades. O caso de Felipe Melo poderia entrar nesse quesito, caso o tribunal julgue a sua conduta antiética.

A punição, neste caso, pode chegar a seis partidas de suspensão se praticada pelo atleta [VIDEO].

Mesmo que o ato seja do jogador, o tribunal pode estender uma punição ao time, de acordo com um entendimento do procurador.

Nota do Palmeiras

A Sociedade Esportiva Palmeiras publicou uma nota sobre o caso polêmico. De acordo com a instituição, as declarações de Felipe Melo são exclusivamente uma opinião dele e não um conceito defendido pelo clube. O Palmeiras afirmou que é neutro no campo da política, religião e qualquer outra forma de manifestação, e que respeita as ideias defendidas pelos seus atletas e membros.

O clube não comentou se tomará alguma providência sobre o caso e se limitou a dizer que tudo será tratado internamente.