Uma mensagem cujo teor foi considerado político pode causar problemas ao Atlético Paranaense. Na partida diante do América Mineiro, válida pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro, disputada no último sábado a Arena da Baixada, em Curitiba, os jogadores do time entraram em campo com uma camisa amarela onde estava escrito: “vamos todos juntos por amor ao Brasil”.

No estádio, algumas faixas também continham a mesma frase.

As cores e as disposições das letras lembravam a camiseta que Jair Bolsonaro usava quando sofreu um atentado a faca no mês passado, em Juiz de Fora.

No entanto, a procuradoria do Tribunal Superior de Justiça Desportiva (STJD) avalia a conduta do time e aguarda um comunicado da CBF para saber se houve autorização da entidade para que o clube pudesse exibir as mensagens, uma vez que, segundo o regulamento, qualquer tipo de manifestação deve ser autorizado previamente.

De acordo com reportagem publicada pelo portal Globo Esporte, o Atlético havia enviado o pedido fora do prazo de 48 horas e essa autorização havia sido negada pela CBF. Para esse tipo de infração, o regulamento prevê a aplicação de multa ao clube. O teor da mensagem, no entanto, não pode ser avaliado pelo tribunal, uma vez que as regulamentações, tanto da FIFA quanto da CBF estão relacionadas à manifestação de jogadores ao comemorarem um gol ou aos torcedores.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Eleições PaixãoPorFutebol

Ou seja, a punição seria pela não autorização prévia para a exibição da mensagem e não exatamente por seu conteúdo.

“Não existe (na regulamentação) nenhuma vedação que proíbe disciplinarmente essa ação, de competência do STJD”, disse o procurador.

Quando questionado sobre o teor da mensagem, o procurador do STJD, Felipe Bevilacqua, afirmou que vê a intenção política e que a frase está ligada à campanha de Bolsonaro, candidato ao qual o presidente do Atlético manifestou apoio. O procurador disse ainda que o ato é como se os jogadores entrassem em campo com camiseta vermelha e com uma estrela branca no meio.

Goleiro já foi suspenso por campanha educativa

Em maio, o Atlético Paranaense, junto comum de seus patrocinadores, decidiu aderir a uma campanha contra o uso de aparelhos celulares por motoristas enquanto dirigem. Na ação, o goleiro Santos mexia em um aparelho enquanto o jogo estava prestes a começar. O fato causou estranheza e apenas no dia seguinte foi revelado que se tratava de uma campanha educativa.

Como a CBF não havia sido comunicada, o clube foi punido com multa e o goleiro suspenso por uma partida, uma vez que o regulamento proíbe aparelhos de comunicação dentro do campo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo