Após uma longa viagem do Rio, o Fluminense desembarcou em Montevidéu no início da tarde e já realizou o primeiro treino na capital uruguaia, visando o compromisso de volta das quartas de final da Copa Sul-americana. Na quarta-feira, o Tricolor enfrentará, a partir das 19h30 (de Brasília), no Parque Central, o Nacional. Na atividade, as boas notícias ficaram por conta dos retornos do zagueiro Gum e do lateral-direito Léo.

Recuperados de lesões, ambos participaram normalmente da atividade ocorrida no estádio Luiz Franzini e devem ficar à disposição do técnico Marcelo Oliveira. Gum sofreu um pequeno trauma no joelho direito na partida de ida, no Nilton Santos.

Publicidade

Léo não atua há três jogos por conta de um edema na coxa.

Na terça, haverá o trabalho de reconhecimento do local do importante compromisso por parte do time das Laranjeiras. A tendência é o Flu entrar em campo com Júlio César; Digão, Gum e Roger Ibañez; Léo, Richard, Jádson, Junior Sornoza e Ayrton Lucas; Everaldo e Luciano.

Com o 1 a 1 no Rio, o Fluminense, para avançar às semifinais da Copa Sul-Americana e enfrentar o classificado de Atlético-PR e Bahia, necessita vencer ou empatar de, pelo menos, 2 a 2. Caso se repita o primeiro placar, haverá disputa de pênaltis.

Fluminense não vence o Nacional há quase 70 anos

Além da natural dificuldade de jogar fora de casa, o Fluminense terá mais obstáculo a ultrapassar. Há quase 70 anos, o Tricolor não sabe o que é derrotar o Nacional.

A última vitória das equipe carioca, aliás a única sobre o adversário, ocorreu no dia 10 de agosto de 1949. Na ocasião, o Flu, jogando nas Laranjeiras, derrotou, de virada, o clube uruguaio pelo placar de 2 a 1. O goleiro Castillo e o meia Didi, autor de um dos gols, foram os responsáveis pelo resultado positivo.

Publicidade

Essa partida entrou para história por ser a primeira vez que o zagueiro Pinheiro atuou entre os profissionais do Fluminense. Ao longo dos anos, ele formaria o trio defensivo ao lado de Píndaro e do goleiro Castilho, que entraria para a história do clube ao conquistar dezenas de títulos, sendo a Copa Rio de 1952, o Mundial de Clubes da época, considerado o principal deles.

De lá para cá, ambos se enfrentaram por dez ocasiões e o Flu sofreu seis derrotas e quatro empates. Antes do duelo da semana passada, ambos haviam se enfrentado duas vezes na Libertadores de 2011.

Na ocasião, os dois faziam parte do mesmo grupo na primeira fase do torneio e houve um 0 a 0 no Rio e uma vitória do Nacional por 2 a 0, em Montevidéu.