Sem contar com Léo (suspenso pelo terceiro cartão amarelo) e Gilberto (permanece em tratamento de um edema ósseo e só deve votar daqui a um mês), o técnico Marcelo Oliveira vem fazendo vários testes e pode apresentar uma surpresa na lateral-direita do Fluminense para o clássico de sábado, às 17h (de Brasília), no Maracanã, diante do Flamengo, na partida que abrirá a 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Publicidade
Publicidade

A tendência natural seria a entrada de Matheus Norton, mas o comandante tricolor, ao longo dos treinos acontecidos na quarta e na quinta no CT Pedro Antônio, na Barra da Tijuca, deslocou Jádson na função. Nesse caso, Dodi entraria para formar a dupla de volantes com Richard. Uma terceira possibilidade seria colocar Ibañez como ala com Paulo Roberto sendo um dos três zagueiros ao lado de Gum e Digão.

Em menores escalas, Igor Julião e Diogo são outras alternativas.

Fluminense sofre para escalar lateral-direito contra o Flamengo (Foto: Lucas Merçon)
Fluminense sofre para escalar lateral-direito contra o Flamengo (Foto: Lucas Merçon)

O primeiro, no entanto, mesmo sendo lateral-direito de origem, retorna após um longo período na filial do Fluminense na Eslováquia, onde atuava como meia. Já o segundo, apesar de especialista, é considerado muito jovem para suportar um peso de um grande clássico como o do próximo final de semana.

A definição acontecerá após o treino de sexta, mas a torcida só saberá o escolhido de Marcelo Oliveira momentos antes do início do jogo. Com 37 pontos e no oitavo lugar do Brasileirão, o Fluminense, se vencer, aproxima-se do G-6, zona dos classificados para a Taça Libertadores da América do ano que vem.

Publicidade

Flu busca quebrar jejum sobre o Flamengo no sábado

Além de subir no Campeonato Brasileiro, o Fluminense tem outro objetivo no sábado. Há nove jogos, o Tricolor não derrota o Flamengo em confrontos disputados no Maracanã. Nesse ano, a equipe das Laranjeiras, pelo Campeonato Carioca, goleou o rival por 4 a 0, mas, na ocasião, o clássico aconteceu na Arena Pantanal, em Cuiabá.

Questionado sobre o jejum, o volante Jádson não se mostrou preocupado e lembrou que, na atual temporada, a equipe já mostrou ser capaz de interromper algumas séries negativas.

"Não procuro me atentar muito a números negativos. Mas esse ano a palavra jejum tem sido recorrente. Conseguimos quebrar alguns jejuns esse ano. Quando se fala jejum fico até feliz. Espero que quebremos mais um", resumiu Jádson, citando as duas vitórias sobre a Chapecoense (3 a 1 no Rio e 2 a 1 na cidade de Chapecó), agremiação a qual o Fluminense jamais havia derrotado.

Leia tudo