Anúncio
Anúncio

Na manhã desta quarta-feira, o técnico Marcelo Oliveira divulgou a lista dos relacionados do Fluminense para o confronto de logo mais, às 19h30 (de Brasília), no Nilton Santos, diante do Nacional, do Uruguai, o primeiro entre ambos pela fase de quartas de final da Copa Sul-Americana e indicou quem será o lateral-direito, uma vez que não contará com Léo e Gilberto, contundidos, além de Igor Julião, que não está inscrito no torneio.

A princípio, o favorito era Matheus Norton, que, ao longo da temporada, vinha atuando na posição, mas o treinador da equipe das Laranjeiras não o relacionou e deu a entender que optou pela entrada de Dodi. Outra possibilidade, essa muito remota, é colocar o zagueiro Paulo Ricardo.

Anúncio

Uma terceira hipótese, de chance quase desprezível, é improvisar o atacante Matheus Alessandro.

O mistério só acabará uma hora antes de o jogo começar. A provável escalação do Fluminense, que, antes do Nacional, eliminou o Nacional Potosi, da Bolívia, o Defensor, também do Uruguai, e o Deportivo Cuenca, do Equador é a seguinte: Júlio César; Digão, Gum e Roger Ibañez; Dodi (Paulo Ricardo ou Matheus Alessandro), Richard, Jádson, Junior Sornoza e Ayrton Lucas; Everaldo e Luciano. O goleiro Rodolfo, o lateral-esquerdo Marlon, os volantes Aírton e Caio, o meia Daniel Simões e os atacantes Marcos Júnior e Júnior Dutra completam a lista dos relacionados.

O confronto de volta entre Fluminense e Nacional acontece na próxima quarta, dia 31 de outubro, novamente a partir das 19h30 (de Brasília), no estádio Parque Central, em Montevidéu. Quem se classificar, enfrenta, nas semifinais da Copa Sul-Americana, o vencedor do duelo brasileiro entre Bahia e Atlético-PR.

Anúncio

Para Digão, Flu necessita acabar com escrita em competições internacionais

Nesses 116 anos de sua gloriosa história, o Fluminense conquistou 31 Campeonatos Cariocas, quatro Campeonatos Brasileiros e uma Copa do Brasil, mas jamais levantou uma taça em competições internacionais, salvo torneios não-oficiais, como o Torneio Viña Del Mar de 1976, no Chile, o Torneio de Paris em duas ocasiões (1976 e 1987), o Teresa Herrera, em La Coruña, na Espanha, em 1977, a Copa Kirin, no Japão, em 1987 e o Torneio de Kiev, na antiga União Soviética, em 1989. Para o zagueiro Digão, chegou a hora de se acabar com essa escrita negativa.

"É, acho que está na hora, pela linda história que o Fluminense tem, de ganhar um título internacional.

Anúncio

Lógico que é muito difícil, tem equipes qualificadas brigando, mas a gente tá neste bolo e a gente vai brigar até o último minuto para deixar nosso nome eternizado no Tricolor", comentou Digão.

O Flu teve duas oportunidades seguidas para encerrar o jejum ao ser finalista na Taça Libertadores de 2008 e na Sul-Americana de 2009. Em ambas, sucumbiu diante do mesmo algoz, a LDU de Quito.