Anúncio
Anúncio

Na segunda, às 20h (de Brasília), o Fluminense enfrenta, no Maracanã, o Paraná pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro e apresentará duas novidades. Depois de quase um mês afastado por questões físicas e técnicas, o meia-atacante equatoriano Bryan Cabezas será novamente relacionado por Marcelo Oliveira. Quem também fica novamente à disposição é o atacante Marquinhos Calazans, que não atua há mais de um ano após romper os ligamentos do joelho direito e ser vítima de agressão por parte de membros de uma torcida organizada do Flamengo. Devido ao longo tempo afastado, ambos ficarão como opções no banco de reservas.

Em contrapartida, o lateral-direito Léo não se recuperou de um incômodo na coxa esquerda e desfalcará a equipe carioca.

Anúncio

Como Gilberto segue em tratamento para se curar de um edema ósseo, Matheus Norton é o favorito para atuar na função. Outra possibilidade seria a colocação de Jádson na ala e a entrada de Dodi como volante ao lado de Richard.

Enquanto o povo ia até as urnas para eleger seus novos governantes federais e estaduais, o Fluminense realizava o último treino antes do jogo contra o Paraná. A atividade, mais uma vez ocorrida no CT Pedro Antônio, na Barra da Tijuca, sem a presença dos jornalistas, tinha o intuito de buscar espaços na defesa adversária com movimentação. Além disso, os jogadores focaram na parada e transição da defesa para o ataque.

O técnico Marcelo Oliveira não quis confirmar, mas é provável que o Fluminense entre em campo com Júlio César; Digão, Gum e Roger Ibañez; Matheus Norton (Jádson), Richard, Jádson (Dodi), Junior Sornoza e Ayrton Lucas; Everaldo e Luciano.

Anúncio

Vitória sobre o Paraná abrirá distância confortável da zona de rebaixamento e mantém sonho do G-6

Além do fator psicológico de elevar a moral do elenco, uma vitória sobre o Paraná pode representar muito mais ao Fluminense. Atualmente em 11 lugar com 34 pontos, o Tricolor, vencendo, ficaria nove pontos do Vasco, clube que, no momento, abre a zona de rebaixamento para a Série B.

Além disso, a equipe das Laranjeiras se aproximaria do Atlético-MG, último integrante do G-6, e, assim, manteria o sonho de conquistar uma vaga na próxima Taça Libertadores da América.

Diante da importância de se garantir mais três pontos, o zagueiro Digão conclama a presença da torcida e lembra o apoio dado na campanha que livrou a equipe de uma quase queda para a Segunda Divisão no Brasileiro de 2009.

Anúncio

"Quando a torcida está com a gente, é 90% do caminho andado. Vivemos isso em 2009, por exemplo. Sempre empurraram no Maracanã. Espero que a gente possa manter, pois isso chama mais gente", resumiu Digão.

Na vitória de 2 a 0 sobre o Deportivo Cuenca, do Equador, resultado que assegurou a vaga nas quartas-de-final da Copa Sul-Americana, pouco menos de 40 mil estiveram no Maracanã. Contra o Paraná, a expectativa é de um público aproximado de 20 mil presentes ao estádio.