A diretoria do Palmeiras [VIDEO] ainda não digeriu a polêmica final do Campeonato Paulista deste ano, quando disse que no jogo final diante do Corinthians houve interferência externa, e desde então não vem dando mais importância ao torneio, tanto que foi o único dos 16 times a não enviar representantes para o conselho arbitral, realizado no mês passado.

Esse abalo nas relações, aliado ao grande desempenho de suas categorias de base, que estão na final de todos os torneios, faz o clube cogitar disputar o Paulistão do próximo ano com uma equipe de garotos, fato que deverá ocorrer em caso de reeleição do atual presidente Maurício Galiotte no pleito que acontece no final deste ano.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

“O campeonato regional é o menos importante de todos. É pequeno perto dos demais”, disse o dirigente ao Globo Esporte, lembrando ainda do episódio que fez eclodir essa briga com a FPF.

“As pessoas entendem que está tudo bem. O Palmeiras não entende que está tudo bem”, disse o mandatário, afirmando que o clube teve ainda sua camisa desrespeitada.

Ainda de acordo com Galiotte, é escalar o time de acordo com a situação, podendo haver time formado apenas por garotos, como também esquipes mistas. “Em cada jogo, em cada momento, vamos decidir o que será feito”.

E essa confiança do presidente na base do clube é endossada pelas ótimas campanhas que as equipes, desde o sub-11 até o sub-20, vêm fazendo nos últimos tempos. Assim como no ano passado, em 2018 o Palmeiras está na final do campeonato estadual em todas as categorias, além de ter conquistado o título do Campeonato Brasileiro Sub-20 [VIDEO]. Fora isso, alguns garotos da base vêm ganhando oportunidade de treinar junto com os profissionais, como é o caso de lateral-esquerdo Luan Cândido, de 17 anos, e também de Gabriel Veron, que tem 16 anos.

Julgados

O técnico Luiz Felipe Scolari e o atacante Deyverson, além do dirigente Alexandre Mattos, foram julgados nesta segunda-feira (12), pelo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio de Janeiro.

Por conta da expulsão, ainda no primeiro tempo, na partida diante do Ceará, o jogador pegou dois jogos de suspensão. Como já cumpriu um, ele ficará fora do jogo contra o Fluminense, assim como o treinador, que pegou um jogo de suspensão por insinuar, após a mesma partida diante do Ceará, que o árbitro agiu de má fé ao expulsar o atacante.

Mattos, que não esteve no julgamento, foi suspenso por 15 dias, por também ter feito a mesma insinuação contra o árbitro.