O coração do pequeno Lucca, filho do ex-goleiro do Cruzeiro Elisson, de seis anos, que morreu na última quinta-feira (15), [VIDEO] vítima de traumatismo craniano após um acidente doméstico, continuará batendo. O órgão do menino foi doado para um bebê de 11 meses, que passou por um transplante de coração, nesta sexta-feira (16), no Hospital da Criança e Maternidade de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. Este foi o transplante de coração feito em um paciente mais jovem da história da instituição.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal PaixãoPorFutebol

O bebê que recebeu o coração de Lucca estava internado há 50 dias. A criança transplantada, que é natural de Jales, também no interior paulista, nasceu com miocardiopatia dilatada.

Essa doença faz o coração aumentar de tamanho, o que faz com que o órgão tenha dificuldade de fornecer sangue ao corpo.

Corrida contra o tempo

Para conseguir realizar o transplante com sucesso, o órgão deve ser retirado e levado até seu receptor em no máximo quatro horas. Para isso, os médicos tiveram que traçar um complexo plano de logística, que envolveu o uso de helicóptero e um jato.

Responsável por realizar o procedimento, o cirurgião cardíaco pediátrico Ulisses Croti, se encontrava em Londrina, no interior do Paraná, e por isso foi necessário o uso de um jato para levá-lo até Belo Horizonte. Da capital mineira ele foi de helicóptero até a cidade de Betim, cidade onde Lucca estava internado, para retirar o coração. Depois ele retornou até Belo Horizonte e de lá pegou um avião até Rio Preto.

O transporte do coração durou pouco mais de três horas.

O bebê que recebeu o coração de Lucca está na UTI cardiopetiátrica em um leito isolado. As 72 horas duas após o transplante são decisivas para saber como o transplantado responderá ao novo coração.

O acidente

O acidente que causou a morte de Lucca aconteceu no final de semana passado, quando o menino, ao tentar pegar um refrigerante, subiu em um armário e o móvel tombou em cima dele, causando traumatismo craniano. Ele ficou internado até a última quinta-feira (15), quando veio a falecer. Dois dias antes, o goleiro Elisson, pai do garoto, chegou a divulgar a morte do filho [VIDEO], mas depois corrigiu a informação, afirmando que ele havia respondido alguns estímulos.

Nas redes sociais, o jogador publicou uma mensagem de agradecimento pelo apoio que receberam no momento difícil. “Sem vocês não teríamos conseguido passar por tudo!”, escreveu.