Fim do mistério. O estádio Santiago Bernabéu, em Madrid, na Espanha, foi o palco escolhido para receber o segundo jogo da final da Copa Libertadores da América entre River Plate e Boca Juniors. Como toda a segurança da Argentina está mobilizada para o encontro do G-20 e não há mais tantas datas disponíveis para fazer a final mais para frente, uma vez que o Mundial da FIFA se avizinha e a Conmebol necessita indicar seu representante, a capital espanhola ganhou a disputa com outras cidades do mundo para receber o maior clássico do futebol argentino.

Publicidade
Publicidade

Horas mais cedo, a imprensa espanhola noticiava que o acerto entre a Conmebol, a Fifa, a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), além do próprio Real Madrid, estava 90% fechado e que o anúncio seria questão de tempo. Um pouco depois das 15h, pelo horário de Brasília, a decisão sobre o local da grande final foi anunciada, bem como sua data: 9 de dezembro.

Dessa forma, o Real Madrid poderá ver de perto seu possível adversário na final do Mundial da FIFA, em dezembro, caso evidentemente ambos os times passem pelas semifinais.

O time espanhol, campeão da última edição a UEFA Champions League, será o representante da Europa no torneio, enquanto que o representante da América do Sul sairá justamente desse confronto.

No primeiro jogo, realizado no estádio do Boca Junior, e que também acabou adiado, mas por apenas um dia e devido às fortes chuvas que caíram em Buenos Aires, os times empataram em 2 a 2. Uma nova igualdade, independente do número de gols, levará a decisão para a prorrogação, onde, se não houver vencedor, o campeão será conhecido nas penalidades.

Publicidade

Violência adia jogo e cidades se candidatam

A segunda partida da final da Copa Libertadores deveria ter ocorrido no último sábado (24), no estádio Monumental de Nuñez, porém o ônibus que levava a delegação do Boca Juniors foi atacado por torcedores do River, que atiraram pedras e gás de pimenta. Dois jogadores tiveram que ser levados para o hospital e alguns outros passaram mal.

Alegando não ter condições de jogar, o Boca pediu o adiamento da partida, que passou para o dia seguinte e posteriormente adiado para uma data ainda indefinida.

Várias cidades, inclusive algumas brasileiras, como São Paulo, Belo Horizonte e Chapecó, ofereceram-se para receber o jogo. Doha, no Catar –sede da próxima Copa do Mundo–, estava disposta a desembolsar mais de R$ 50 milhões para receber a decisão. Paris também ficou bem próxima de receber o jogo.

Leia tudo