A vitória por 3 a 2 diante do Santos, na noite deste sábado (3), no Allianz Parque, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro e que deixou o Verdão mais próximo de conquistar seu segundo título na era dos pontos corridos, parece que não melhorou muito o humor do técnico Luiz Felipe Scolari.

Após a partida, o treinador interrompeu uma entrevista que o atacante Deyverson dava para a TV Globo e ainda mandou os repórteres para o inferno.

Publicidade
Publicidade

“Deu, deu... Sem entrevista! Vão para o inferno!”, esbravejou o comandante do Verdão. No momento da intromissão de Felipão, o jogador respondia a uma pergunta do repórter Marco Aurélio Souza, da TV Globo, que o questionava a respeito do clássico diante do time da Vila Belmiro.

Mais tarde, em entrevista coletiva, Scolari explicou que o jogador tinha uma “chavezinha que não funciona” e ainda pediu para que os repórteres evitassem entrevista com o atleta, do contrário, não descartaria até mesmo proibir e multar jogadores que concedam entrevistas após os jogos.

Publicidade

“O Deyverson não tinha nada que estar falando ali”, se queixou.

O receio demonstrado pelo treinador com o atacante é explicado pelas atitudes do jogador em campo. Logo após o árbitro encerrar a partida, o jogador do Palmeiras fez uma dancinha no gramado, que foi considerada desrespeitosa pelos adversários e houve um princípio de confusão.

Um dos jogadores santistas que se mostraram mais indignados, o lateral-esquerdo Dodô condenou a atitude do palmeirense, afirmando que isso pode fechar portas para ele no futuro. “Todo time com que ele (Deyverson) joga contra, ele arruma uma confusão, isso vai fechando portas”, falou.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Palmeiras PaixãoPorFutebol

Jogador será julgado nesta semana

A nova polêmica em que o atacante Deyverson se envolve acontece restando poucos dias para seu julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Nesta segunda-feira (5), ele será julgado pela expulsão na partida contra o Ceará, pela 30ª rodada, por conta de jogada violenta, podendo pegar até mesmo seis jogos de suspensão.

Caso seja condenado à pena máxima, o jogador perderá o restante do campeonato, uma vez que restam seis rodadas para o término da competição.

Em setembro, por conta da expulsão em um jogo da Copa do Brasil, ele já havia sido suspenso por duas partidas.

Quem também estará no banco dos réus nesta segunda-feira será o técnico Luiz Felipe Scolari e o diretor Alexandre Mattos em razão das críticas que fizeram à arbitragem na mesma partida contra o Ceará. O treinador pode ser suspenso também por seis partidas, enquanto que o dirigente pode ganhar um ganho de até 180 dias.

Publicidade

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo