Quase cinco anos após o gravíssimo acidente sofrido por Michael Schumacher em 29 de dezembro de 2013, enquanto esquiava em suas férias, o ex-piloto apresenta sinais de melhora, e não está mais em coma ou respirando por aparelhos, segundo informações publicadas pelo jornal britânico Daily Mail. O "milagre" ainda não foi completo, pois o atleta de automobilismo mais premiado da história da Fórmula 1 ainda precisa de muitos cuidados médicos.

Segundo a publicação, os parentes mais próximos eram os únicos que conheciam o verdadeiro estado de saúde do atleta e a confidencialidade era mantida até então. Os gastos com o piloto de F1 chegam a 50 mil libras por semana e parte do patrimônio de Schumacher já havia sido gasto com os tratamentos. A equipe responsável pelos cuidados do atleta reúne cerca de 15 profissionais. Em reais, o tratamento custaria algo próximo a R$ 250 mil (por semana).

Mesmo com informações restritas sobre o piloto, recentemente o tabloide Mirror publicou que, segundo uma das porta-vozes da família Schumi, Sabine Kehm, era um desejo do próprio piloto, ainda em vida, não chamar muito a atenção da imprensa e tentar passar desapercebido pelos locais, algo que era muito complicado. Em determinado momento, segundo a mulher, ele disse: "não precisa de me telefonar no próximo ano, vou desaparecer", teria dito Michael Schumacher.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Famosos

Schumi demonstra emoção

No início do ano, "parentes próximos" ao piloto teriam dito à revista francesa Paris Match que ele estaria no processo de sair da cama e ir para a cadeira de rodas e que ele entendia o que ocorre ao redor. “Quando colocamos na cadeira de rodas de frente para as montanhas e para o lago, por vezes o Michael chora”, disse um dos parentes do ex-piloto à revista.

De todo modo, a boa notícia já é um grande alento para os fãs do piloto que ganhou tantas vezes o maior título do automobilismo mundial.

Recentemente, Jean Todt, que foi o chefe de Schumacher quando o heptacampeão de F1 corria pela Ferrari, revelou que assistiu ao GP que aconteceu no Brasil da F1 ao lado de Schumi, mesmo sem dizer exatamente quais foram as circunstâncias e detalhes do encontro. A família de Schumacher, que completará 50 anos no próximo dia 3 de janeiro, continua em silêncio.

Michael Schumacher é um ex-automobilista alemão, sete vezes campeão da principal categoria do automobilismo, detém inúmeros recordes, incluindo voltas mais rápidas, maior número de campeonatos, vitórias, pontos marcados e mais corridas ganhas em uma única temporada (2004).

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo