A diretoria do Goiás não apenas está segura de sua inocência no caso da escalação irregular do jogador Ernandes, que pode custar ao time esmeraldino o acesso para a Série A do Campeonato Brasileiro do ano que vem, como também decidiu fazer piada com a Ponte Preta, equipe que seria beneficiada caso a punição com a perda de pontos seja aplicada.

Em uma postagem no Twitter, a assessoria de comunicação do clube postou a seguinte mensagem: “Com índice chuvoso entre 31 e 33 milímetros, a Ponte ficará impossibilitada de subir em 2018”.

Publicidade

Junto coma frase, havia a imagem de um cavalete de trânsito com uma placa informando “ponte interditada”. A mensagem ficou no ar pouco tempo e foi apagada minutos depois.

Os números 31 e 33 fazem referência a idade do jogador Ernandes. No registro do Boletim Informativo Diário (BID) da CBF, consta que o atleta tem 31 anos, mas de acordo com uma certidão no cartório de São Félix do Araguaia, cidade do Mato Grosso onde o jogador nasceu, o atleta teem 33 anos, tendo nascido 11 de novembro de 1985.

Ao tomar conhecimento do caso, o Goiás emitiu uma nota se eximindo de responsabilidade, afirmando que efetuou o registro do atleta com todos os documentos apresentados por ele, cuja data de nascimento constava o ano de 1987. “O Goiás possui toda a documentação que comprova a inscrição regular do jogador”, disse Túlio Lustosa, gestor de Futebol do clube. “Não podemos duvidar do atleta quando ele nos apresenta um documento”, completou.

CBF não vê risco de punição

Consultada sobre o caso, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) afirmou que não existe jurisprudência de aplicação de perda de pontos a clubes em casos como esse e que dois anos mais ou menos não têm impacto esportivo no Campeonato Brasileiro.

Publicidade

Segundo a entidade que comanda o futebol brasileiro, as punições são para os próprios jogadores, como foi em 2006, quando foi descoberto que o volante Carlos Alberto, então no Figueirense, era cinco anos mais velho do que dizia ser. Na época, o clube foi absolvido e o jogador suspenso.

Já o procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) disse que a competência da Justiça Desportiva nesse caso é indiscutível e que ainda não tem uma posição sobre o caso.

Caso haja punição esportiva, também haveria mudança nos times que caem para a Série B.

O jogador atuou na partida de estreia do Ceará na Série A e, caso o time nordestino seja punido com a perda de três pontos, pena dada ao clube que escala jogador irregular, independente de ter ganho ou não a partida, o Vozão cairia para a Série B e o Sport se salvaria.