Campeão Mundial Interclubes e da Copa Libertadores da América em 1983, morreu no início da madrugada [VIDEO] desta quarta-feira (5), o ex-atacante do Grêmio Tarciso Souza, conhecido como Tarciso Flecha Negra. Ele tinha 67 anos de idade e, de acordo com informações passadas por seus familiares, o ex-jogador, que é o segundo maior artilheiro da história do clube, enfrentava um câncer ósseo. Ele deixa esposa, três filhos, além de dois netos.

Flecha Negra, que atualmente estava em seu terceiro mandato como vereador na cidade de Porto Alegre, ficou uma semana internado no Hospital da PUC, na capital gaúcha.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal PaixãoPorFutebol

Ele chegou a receber alta na última sexta-feira (30), mas apresentou piora na segunda-feira (3) e voltou a ser internado. O vereador não conseguia mais se levantar da cama. “Foi inesperado.

Ele voltou ontem (terça) para o hospital com um tumor ósseo”, disse Gabriela Souza, uma das filhas do ex-jogador.

O corpo do vereador e ex-jogador está sendo velado na Câmara Municipal de Porto Alegre. O enterro está marcado para a partir das 18 horas, no Cemitério Jardim da Paz.

Segundo maior artilheiro Tricolor e quem mais vestiu a camisa

Em seu perfil oficial no Twitter, o Grêmio lamentou [VIDEO] a morte de um de seus maiores ícones e destacou que ele foi o jogador quem mais vestiu o manto Tricolor e o segundo maior artilheiro do clube, com 721 partidas e 226 gols anotados, somente atrás de Alcindo, que marcou 264. “Teu nome, tua garra e alegria jamais serão esquecidos”, postou o clube na rede social.

Mineiro da cidade de São Geraldo, Flecha Negra, apelido que ganhou por conta de sua velocidade e habilidade, iniciou sua carreira jogando pelo América do Rio de Janeiro.

Ele chegou ao Grêmio em 1973, ficando no clube até 1986.

Nesse período conquistou as maiores glórias do clube, como o título mundial e da Libertadores de 1983, além do primeiro título do Campeonato Brasileiro no ano anterior. Também foi cinco vezes campeão gaúcho no período em que lá esteve.

Dentre as cinco conquistas estaduais, a primeira, em 1977 foi a mais marcante, uma vez que quebrou a sequência de oito títulos do Internacional. Naquela partida, disputada no estádio Olímpico, o jogo estava 0 a 0, quando ele perdeu um pênalti. Desanimado e achando que a carreira seria comprometida, ele ouviu do companheiro André Catimba: “Vamos ser campeões, e eu vou fazer o gol”, disse. A profecia se cumpriu e 20 minutos depois, Catimba fez o gol do título.

Outro detalhe curioso é que o jogador nasceu em um 15 de setembro (de 1951), mesma data de fundação do Grêmio, surgido em 1903.