Michael Schumacher é, sem dúvidas, um dos maiores pilotos que os fãs da Fórmula 1 já viram dentro de um cockpit. Contemporâneo de Ayrton Senna, os dois chegaram a rivalizar nas pistas, mas devido a um acidente de percurso, Ayrton morreu e Schumacher, desde então, se consolidou como o grande campeão da categoria principal do automobilismo.

Entretanto, Schumi também sofreu um acidente, desta vez fora das pistas, em 29 de dezembro de 2013, quando esquiava em um momento de descontração e férias. Por conta do acidente, o piloto ficou em coma e em tratamento intensivo.

Publicidade

A família manteve seu estado de saúde sob sigilo até então e o que se sabia era o que alguns amigos mais próximos contavam.

Desta vez, entretanto, os fãs do piloto tiveram a melhor notícia ao longo destes quase cinco anos de tratamento. Segundo o site britânico Daily Mail, o piloto viveu um verdadeiro milagre e está fora do coma. A publicação ainda revela que o piloto não respira também por aparelhos, que já representa uma melhora significativa em sua longa trajetória (e dispendiosa) de recuperação.

Segundo ainda a publicação, os gastos semanais com a recuperação do piloto giram em torno de 50 mil libras, ou algo próximo a R$ 250 mil. A família de Schumacher decidiu levá-lo para casa e disponibilizar toda a infra-estrutura médica no local para que a família pudesse acompanhar a melhora de Schumacher. A equipe de profissionais gira em torno de 15 pessoas.

Michael Schumacher queria 'anonimato' após a aposentadoria

Ainda segundo as parcas informações que os fãs obtiveram ao longo do tratamento, segundo a porta-voz da família de Schumi, Sabine Kehm, quando ainda consciente e antes do acidente, Schumacher chegou a revelar que gostaria de passar desapercebido por onde passava e que o piloto de Fórmula 1, teria dito a ela em determinado momento antes do acidente: "não precisa de me telefonar no próximo ano, vou desaparecer", teria dito o piloto heptacampeão.

Publicidade

Piloto demonstra emoção

Outra informação que os fãs obtiveram de parentes próximos e durante ainda 2018, é que Schumi também já demonstrava emoção em determinados momentos. À revista Paris Match, um destes parentes teria dito que o piloto de F1 estaria no processo de sair da cama e ir para a cadeira de rodas e que ele entendia o que ocorre ao redor. Quando, inclusive, ele era posicionado diante das montanhas, na cadeira de rodas, ele chegava a chorar, o que foi concluído pelo parente ser uma reação de emoção de Schumi.

Jean Todt também já havia dado pistas sobre a recuperação do piloto. Segundo o ex-chefão da Ferrari, ele assistiu o GP de Fórmula 1, junto ao piloto heptacampeão, mas não deu maiores detalhes.