Três semanas atrás, o Goiás comemorou o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro e até a imagem de um policial celebrando, enquanto a delegação esmeraldina desembarcava no aeroporto, viralizou. No entanto, a festa corre o risco se transformar em tristeza e frustração.

Publicidade
Publicidade

Isso porque uma irregularidade no registro do lateral-direito Ernandes pode não apenas impedir o acesso do clube goiano, como também rebaixar o Ceará para a Série B.

A informação foi dada pelo jornalista Pedro Orioli, da Rádio Central de Campinas. A Ponte Preta, que seria a beneficiada pela punição ao time do Centro-Oeste, uma vez que herdaria sua vaga na elite, disse que estuda a melhor forma de usar essas informações. Procurada pela reportagem do Globo Esporte, a CBF informou que não recebeu nenhum pedido de informações sobre o caso.

Jogador pode complicar vida do Ceará e do Goiás. (foto reprodução).
Jogador pode complicar vida do Ceará e do Goiás. (foto reprodução).

Gato

No Boletim Informativo da CBF, o chamado BID, consta que o jogador Ernandes Dias Luz é nascido em 11 de novembro de 1987, no entanto, uma certidão no segundo cartório de São Félix do Araguaia, no Mato Grosso, cidade onde o jogador nasceu, consta que ele é dois anos mais velho, tendo nascido em 11 de novembro de 1985. Ou seja, na linguagem do Futebol, Ernandes seria um “gato”, que é aquele atleta que adultera a idade para parecer mais novo.

O jogador, antes de se transferir para o Goiás, disputou a partida de estreia do Ceará no Campeonato Brasileiro, na derrota para o Santos por 2 a 0, no estádio do Pacaembu.

Publicidade

Assim, caso o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), entenda que o clube cearense tem de ser punido pela escalação do "gato", o time perderia três pontos, independente de ter ou não vencido o jogo. Com isso, o time cairia de 44 para 41 pontos e seria superado pelo Sport, que desta forma escaparia da queda.

E o Goiás?

Por meio de uma nota, o Goiás disse que tomou conhecimento do caso por meio da imprensa e se eximiu de qualquer culpa e garantiu que inscrição do jogador está em conformidade com dos dados apresentados pelo jogador.

O clube já acionou o departamento jurídico e não tem qualquer tipo de punição. “Se existe algo de errado em um documento pessoal, não temos culpa”, disse o gestor de futebol do Goiás, Túlio Lustosa. O jogador atuou em 31 jogos pelo time esmeraldino, mas ainda não existe a informação de quantos pontos poderia perder.

Outros casos de punição

Jogadores com idade adulterada não são novidade no futebol brasileiro, porém em cada caso houve um desfecho diferente.

Publicidade

Em 2006, o volante Carlos Alberto, do Figueirense, tinha cinco anos a mais do que dizia ter. Na época, o clube foi absolvido e o jogador suspenso por um ano.

Em 1999, no que ficou conhecido como o caso Sandro Hiroshi, o jogador era um ano mais velho do que dizia ser. Com isso, o São Paulo perdeu os pontos conquistados na vitória contra o Botafogo e no empate contra o Internacional. O time carioca somou três pontos e o gaúcho ganhou mais dois. Já em 2014 uma irregularidade com o lateral Eduardo impediu o América Mineiro de subir.

Publicidade

O jogador já havia atuado por três clubes naquela temporada e de início o Coelho perdeu 24 pontos, o que o fez sair do G4 e ir para a zona de rebaixamento. Posteriormente o clube conseguiu reduzir a punição para a perda de seis pontos.

Leia tudo