Publicidade
Publicidade

Adriano Imperador, o craque que teve sua carreira terminada precocemente, mas nem por isso não deixou de ter uma legião de fãs. Segundo informações, a história do ex-atleta será contada em dois filmes, um de ficção e outro no formato documentário.

Aos 36 anos, Adriano fechou contrato com a produtora Bananeira Filmes, da empresária Vânia Catani, no Rio de Janeiro. A empresária, que tem no currículo títulos como O Palhaço e A Festa da Menina Morta, assinou o contrato após mais de um ano de negociações com o ex-jogador, na própria casa de Adriano, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio e com direito até a champanhe.

Publicidade

Com uma história de vida rica e com fãs em todo o Brasil, não só pelo futebol jogado nos clubes por onde passou e na seleção, mas também pela vida simples que leva, diferente dos atuais "boleiros" que ostentam e esbanjam toda sua fortuna nas redes sociais, o interesse de Vânia em documentar a vida do ex-jogador de futebol veio quando ela assistiu à entrevista de Adriano para a TV Globo, no programa Conversa com Bial, em outubro de 2017.

O primeiro filme deve chegar ao público até 2020, segundo especulações, e será exibido no Brasil e na Itália.

Segundo a assessoria do Imperador, Adriano não impôs qualquer restrição no contrato, pelo contrário, o ex-jogador está muito feliz e entusiasmado de poder ver sua história de vida contada para todo o mundo. "Estou muito feliz, pois as pessoas agora vão saber quem é realmente o Adriano Leite Ribeiro, não Didico ou Imperador", declarou o jogador.

O documentário terá depoimentos de amigos, familiares, além de ex-colegas de time. Já o longa-metragem de ficção ainda não tem atores definidos, mas também será exibido na Itália, onde "Didico" atuou pela Internazionale de Milão, Roma, Fiorentina e Parma, deixando uma legião de fãs também por lá.

Publicidade

No Brasil atuou por Flamengo, São Paulo, Corinthians e Atlhético Paranaense, além de também ter atuado pelo Miami United, time em que era sócio.

Engana-se quem pensa que é a primeira vez de Adriano nas telonas. O ex-atleta já esteve em outro documentário, onde contou suas experiências negativas sofridas com o racismo, no documentário O Negro no Futebol Brasileiro, do canal HBO. Neste filme, Adriano relata uma vez que a polícia o parou e o constrangeu: "Um dia fui parado numa blitz e me liberaram por eu ser o Adriano.

E se eu não fosse? O que fariam? Isso me dói”.

Adriano publicou o fato em seu Instagram pessoal.