Após várias brigas até na alçada judicial, no início da noite deste sábado, foi confirmada a realização do clássico de domingo, às 17h (de Brasília), no Maracanã, entre Vasco e Fluminense, válido pela decisão da Taça Guanabara, para o Maracanã. Essa confusão, gerada por conta de quem seria a torcida a ocupar o Setor Sul do estádio, o que quase provocou a transferência do jogo para outro estádio, é mais uma ao longo da história do Estadual do Rio de Janeiro.

Acompanhe, abaixo, a lista de algumas lambanças ocorridas em um dos certames mais tradicionais do futebol:

1986- Dengue acaba com o tetra do Flu

No ano de 1986, o Fluminense brigava pelo tetracampeonato estadual.

Publicidade

Depois de fracassar na Taça Guanabara, a equipe das Laranjeiras, que, na ocasião, tinha, dentre outros, Romerito, Washington, Assis, Deley, vinha brigando pelo título da Taça Rio, mas, acometido por um surto de dengue, acabou não indo a Campos dos Goytacazes para enfrentar o Americano e, consequentemente, derrotado pelo placar simbólico de W.O.

O Tricolor ainda tentou reverter a decisão nos tribunais, no entanto, não obteve êxito. Com isso, o sonho da agremiação verde, branco e grená virou apenas um triste devaneio.

Flamengo e Vasco decidiram aquele Carioca em três jogos e o Rubro-Negro, com dois empates sem gols e uma vitória de 2 a 0, respectivamente, acabou levando a taça.

1994 - Acusação de resultados manipulados e esquema de arbitragem

Ao final de 1993, Botafogo, Fluminense e Flamengo, alegando esquema de arbitragem e resultados de partidas manipulados, ameaçaram criar uma Liga Carioca de Futebol independente a partir do ano seguinte, a qual também haveria as participações de clubes de menor expressão, como Canto do Rio e Bonsucesso.

Publicidade

Nada de ilegal, porém, foi confirmado, a Liga não foi para a frente e a competição ocorreu sem qualquer empecilho, tendo, inclusive, a fase decisiva com os quatro grandes clubes: Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco.

O Gigante da Colina, aliás, brigava por um inédito tricampeonato e, diferente do Flu em 1986, conseguiu atingir o seu objetivo.

2002- O Caixão e a Justiça

Cinco anos depois, mais um confusão. O então presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ), Eduardo Vianna, popularmente conhecido como "Caixa D'Água", recusou-se a elaborar um calendário do Campeonato Carioca com datas paralelas ao Torneio Rio-São Paulo.

Dessa forma, os quatro grandes disputaram as duas primeiras fases com times reservas, tornando a competição arrastada, levando a ela ser chamada, de forma grotesca, de 'Caixão' e com uma fómula totalmente esdrúxula, na qual, apesar de um mesmo clube ter vencido dois turnos, no caso, o Americano, houve uma fase semifinal composta por dois quadrangulares.

No final, o título acabou sendo do Fluminense. O Tricolor, porém, esperou um bom tempo para essa conquista ser oficializada, uma vez que, em uma partida contra o Bangu, acabou sendo beneficiado pela anulação equivocada de um gol do time adversário.

Publicidade

O Alvirrubro de Moça Bonita recorreu aos tribunais e a FERJ só confirmou a taça para a equipe das Laranjeiras em 2009.