A temporada 2019 de Fórmula 1 começou com uma grande surpresa. O finlandês Valtteri Bottas, da equipe Mercedes, venceu o Grande Prêmio da Austrália, etapa de abertura do mundial, na madrugada deste domingo (17), no circuito de Albert Park.

Seu companheiro de equipe e atual campeão Lewis Hamilton chegou em segundo enquanto que o holandês Max Verstappen completou o pódio. Além dos 25 pontos pela vitória, Bottas também conquistou um ponto extra pela volta mais rápida, bonificação que retornou à Formula 1 neste ano.

Ele fez o giro em 1:25.580s.

A corrida foi definida praticamente nos primeiros metros, quando Bottas superou Hamilton, o pole, logo na largada e assumiu a liderança para não mais perder. O piloto inglês, para se defender de uma estratégia adotada por Sebastian Vettel, então terceiro colocado, antecipou sua parada e não conseguiu tomar a primeira posição do companheiro, que parou mais tarde e com pneus mais novos, chegou 20 segundos na frente de Hamilton, que ainda teve que se defender da ameaça de Max Verstappen, o terceiro colocado.

A Fórmula 1 terá sua segunda etapa em 31 de março com o Grande Prêmio do Bahrein.

Destaques positivos da corrida

Estreando sua nova parceria com a Red Bull, o motor Honda conseguiu com Verstappen seu primeiro pódio em mais de dez anos. O último havia sido em 2008, com Rubens Barrichello, no Grande Prêmio da Inglaterra.

Outro finlandês a se destacar na corrida foi Kimi Räikkönen, que fazendo sua estreia pela Alfa Romeo, que retorna à categoria, conquistou um ótimo sétimo lugar. Seu último ponto havia sido no longuinquo ano de 1884, no GP do da Europa, com o italiano Ricardo Patrese.

Outra equipe estreante – pelo menos de forma oficial – foi a Racing Point, que obteve um nono lugar com o canadense Lance Stroll, conquistando seus dois primeiros pontos logo em sua primeira corrida. A do ano passado, a escuderia se chamava Force Índia.

Já Kevin Magnussen, da Haas, fez boa corrida, terminando em sexto e sendo o primeiro piloto a pontuar após as três grandes equipes. Robert Kubica, que voltou para disputar uma corrida oito anos após um grave acidente em uma corrida de Rally, pilotando uma medonha Williams, conseguiu um 17º lugar, fechando o grupo dos pilotos que completaram a prova, chegando três voltas atrás do vencedor.

Decepções

A maior decepção foi a equipe Ferrari, que não correspondeu às expectativas da pré-temporada, chegando em quarto com Vettel e em quinto com Charles Leclerc. Aliás, o alemão só não perdeu a posição para o novato companheiro de equipe devido a uma ordem vinda dos boxes.

Daniel Riccardo, que estreava pela Renault e corria em casa, também decepcionou. Ele quebrou a asa dianteira logo na largada, escapou para fora da pista, provocando danos em seu carro e abandonou na volta 31. Já a McLaren deu mostras que seguirá tendo dias difíceis.

Carlos Sainz foi o primeiro piloto a abandonar, logo na volta 11, com seu motor Renault pegando fogo.

A outra tradicional equipe inglesa, a Williams também mostrou que irá se arrastar na temporada. Seus dois pilotos foram os únicos a terminarem mais de uma volta atrás do vencedor. Kubica foi o 17º colocado, três voltas atrás, e George Russell, ficou uma posição à frente, com duas voltas de atraso.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo