O pivô Douglas Nunes, de 27 anos, da equipe de futsal do Corinthians e com passagens pela seleção brasileira da modalidade, foi morto a tiros na madrugada deste domingo (11), na cidade de Erechim, no Rio Grande do Sul, onde a equipe paulista disputou até este final de semana a Taça Brasil de Clubes. Por conta da morte do atleta, a decisão, entre Atlântico e Carlos Barbosa, foi adiada.

No sábado (10), o Corinthians havia enfrentando o Atlântico pela semifinal da competição, quando acabou sendo derrotado, por conta disso, os jogadores ganharam folga, uma vez que só teria novo compromisso na quarta-feira contra o mesmo adversário, mas pela Liga Nacional.

Douglas e outros jogadores aproveitaram para ir até uma casa noturna, que fica na avenida Sete de Setembro, no centro da cidade, onde eles acabaram se envolvendo em uma discussão.

Quando eles deixavam a boate, um carro se aproximou e abriu fogo contra o grupo e Douglas foi o único alvejado. O tiro pegou na cabeça. Ele ainda foi socorrido por oficiais do Batalhão de Bombeiros Militares e levado até o Hospital Santa Terezinha, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Formado nas categorias de base do próximo Corinthians, o jogador é irmão do pivô Betão, que foi campeão mundial com a seleção brasileira em 2008.

Fazendo uso de suas redes sociais, o Corinthians emitiu uma nota de pesar e desejou força aos familiares e amigos do atleta.

Suspeito se entregou

No final da tarde deste domingo (11), o suspeito de ter cometido o assassinato do jogador se entregou à Polícia acompanhado de um advogado.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Corinthians

Ele teve prisão preventiva decretada, foi ouvido pelas autoridades e será encaminhado para um presídio.

Em seu depoimento, Ricardo Jean Rodrigues, de 25 anos, disse que o crime foi motivado por conta de uma discussão entre eles na hora de pagar a conta da festa que haviam participado. Ele esteve no camarote junto com outros atletas do alvinegro e outras pessoas tomando espumante.

Na hora de acertar o valor no caixa houve uma primeira discussão, pois ele não concordou com o valor e eles chegaram a entrar em luta corporal.

Ricardo deixou o local e retornou pouco depois em um carro e pediu para chamar um jogador do Corinthians. Um colega de Douglas, que já havia morado na região foi até o veículo e momentos depois Douglas, que estaria muito nervoso foi atrás dele, dando início a uma segunda discussão.

O jogador então teria colocado a cabeça dentro do carro, momento que houve o tiro. O pivô foi atingido na mão e no rosto, próximo aos olhos.

Acredita-se que ele tenha tentado proteger a cabeça com as mãos.

De acordo com o delegado que cuida do caso, o suspeito já tem passagem pela polícia por tráfico e não deveria estar no local, uma vez que cumpre prisão domiciliar por venda de drogas.

Final adiada

Por contra o assassinato do jogador corintiano, a final da Taça Brasil de Clubes, que seria disputada entre os gaúchos Atlântico Erechim e Carlos Barbosa foi adiada pela CBFS, organizadora do torneio.

A partida agora será disputada na próxima terça-feira (13), às 19h, no ginásio do Atlântico. Os ingressos adquiridos para este domingo estão valendo para a nova data.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo