Até então modesta, a dança dos técnicos no Campeonato Brasileiro se mostrou com força total nesta 21ª rodada, quando houve nada menos do que quatro trocas de comando.

As mudanças começaram ainda na manhã de quinta-feira (26), quando o São Paulo anunciou o pedido de demissão e a consequente saída do técnico Cuca, que havia assumido o time há cinco meses, durante o Campeonato Paulista, logo após a queda precoce do Tricolor na Copa Libertadores da América.

O treinador até começou sua segunda passagem pelo Morumbi, levando a equipe de volta a decisão do estadual e fazendo um bom primeiro turno de Brasileiro, mas a queda do time nas últimas rodadas e a saída da briga pelo título fizeram surgir as críticas e ele acabou não resistindo a mais um tropeço em casa, quando a equipe foi derrotada por 1 a 0 pelo Goiás.

A exemplo do que ocorreu antes da chegada de Cuca, Vagner Mancini assumiria o comando interinamente antes da chegada de um novo treinador. Assumiria. Isso porque nesta sexta-feira (27), logo após a diretoria anunciar a contratação de Fernando Diniz, ele também pediu demissão do cargo de coordenador técnico. Ele justificou sua decisão afirmando querer evitar comparações com o novo treinador, algo que ocorreu com a chegada de Cuca.

Oswaldo fora do Fluminense

Fernando Diniz nem foi ainda apresentado ao São Paulo e seu sucessor no Fluminense já pegou o boné. Oswaldo de Oliveira foi mais uma das vítimas da 21ª rodada e deixou o clube após os maus resultados, além da eliminação na Copa Sul-Americana para o Corinthians.

O estopim para a saída do treinador foi uma forte discussão com Paulo Henrique Ganso na beira do gramado após o jogador ser substituído no empate em 1 a 1 diante do Santos, no Maracanã.

Apesar do resultado lhe tirar da zona de rebaixamento, a equipe ainda segue seriamente ameaçada.

Ceni fora do Cruzeiro

Ainda na quinta-feira, quem também caiu foi Rogério Ceni, que saiu derrotado na queda de braço com o elenco cruzeirense. As declarações de lideranças do grupo, que saíram em defesa de Thiago Neves, contribuíram ainda mais para deixar o ex-goleiro sem clima dentro da Toca da Raposa.

Em um mês e meio dirigindo o time, foram duas vitórias, dois empates e quatro derrotas, além de muitos desentendimentos.

Zé Ricardo fora do Fortaleza

A queda de Ceni no Cruzeiro provocou um efeito dominó e acabou sobrando para Zé Ricardo, que o havia substituído no Fortaleza. Ele foi demitido após a derrota de 4 a 1 para o Athletico Paranaense e o nome do antigo treinador aparece com força.

O Fortaleza caiu muito de rendimento após a saída de Rogério e está apenas três pontos acima da zona de rebaixamento. Em sete partidas à frente do Leão, o treinador conquistou apenas uma vitória.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Brasileirão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!