Francesco Le Foche, imunologista da Policlínica Umberto I em Roma, diz que a partida que aconteceu no dia 19 de fevereiro em Milão, pelas oitavas de final da Champions League, acabou contribuindo para a “explosão” da pandemia de coronavírus no país da Itália. As informações foram passadas pelo médico durante uma entrevista concedida ao jornal Corriere dello Sport. No jogo, Atalanta enfrentou e venceu o Valencia de 4X1.

De acordo com o médico, o fato de o jogo acontecer em Milão, localizado há cerca de 50 km de Bérgamo, contribui para que os casos de coronavírus, que estavam até o momento concentrados apenas na cidade, se expandir também para o norte do país.

Para assistirem ao jogo decisivo da Champions League, cerca de 45 mil torcedores marcaram presença no Estádio Giuseppe Meazza.

Le Foche diz que Bérgamo se trata de uma das áreas mais ativas do mundo quando a questão é relações econômicas e sociais e, isso a torna “um meio ideal para o vírus”. O médico diz estar falando de pessoas espartanas, diligentes de uma grande cultura de trabalho e de uma tendência a subestimar doenças sazonais.

Jogo contribuiu para proliferação, diz médico

Dando a entender que o jogo entre Atalanta e Valencia pode ter contribuído para a proliferação da CODIV-19, Francesco diz que um desses episódios, “poderia ter sido exatamente isso”.

Isso se tratando do pico em euforia dentro de uma partida de Futebol que é a única na história do clube.

Situação no país

Atualmente, a Itália vive uma situação crítica devido à pandemia do coronavírus. Em todo o país, cerca de 47 mil pessoas já foram infectadas pelo vírus até o último sábado (21), e mais de 4 mil pessoas já morreram vítimas da CODIV-19 no país. Tantos casos faz com que a Itália supere o número de mortes causadas pelo coronavírus em todo o mundo, inclusive, da China.

Coronavírus

Segundo informações divulgadas pelo G1 na manhã deste domingo (22), cerca de 307 mil pessoas já foram infectadas pela CODIV-19 em todo o mundo, e ao menos 13 mil já vieram a óbito por causa do novo coronavírus. Atualmente, ainda de acordo com o jornal, a Itália é o país com mais mortes pela doença, e até o momento já soma 4,8 mil pessoas mortas.

Outro dado preocupante é que no país, apenas no último sábado (21), foram registradas 800 mortes pela CODIV-19.

Na Itália já são cerca de 53 mil infectados, e esse número deixa o país abaixo apenas da China, que desde que deu início ao surto, em dezembro de 2019, registrou cerca de 81 mil casos da doença.

No Brasil, os números ainda são pequenos, mas o governo já mantém toda a população em estado de alerta. Na manhã deste domingo (22), as secretarias estaduais de Saúde confirmaram 1.197 casos confirmados da CODIV-19 no país.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!