Além da questão técnica e de moral, o Fluminense comemorou bastante a vaga para a terceira fase da Copa do Brasil no âmbito financeiro. Graças aos 4 a 2 e 2 a 0 sobre Moto Clube e Botafogo-PB, respectivamente, o Tricolor das Laranjeiras já arrecadou, na competição, um total de R$ 3,9 milhões, um dinheiro visto como fundamental nesse momento de luta para quitar graves pendências. Com esse ganho, por exemplo, na última quinta-feira, pagou-se mais 30% dos salários de janeiro de atletas e funcionários, restando ainda 20% para se acertar o primeiro mês de 2020.

Em entrevista coletiva dada na sexta, o volante Hudson reconheceu a necessidade de se manter na Copa do Brasil tanto pelo aspecto da disputa em si quanto para assegurar a paz no ambiente de trabalho.

"A importância esportiva sempre vai vir na frente, por mais que tenhamos nossas contas para pagar, nosso compromissos. Claro que essas são questões internas, a diretoria nova já corrigiu muita coisa do passado. É um processo. O grupo tem consciência disso, isso é muito conversado com todos", disse o camisa 25, um dos reforços contratados para esse ano e que vem agradando ao torcedor.

O próximo desafio do Flu na Copa do Brasil será contra o Figueirense, adversário que traz boas lembranças ao Tricolor, pois, em 2007, ambos decidiram a competição e, com um empate de 1 a 1 no Maracanã e uma vitória de 1 a 0 no Orlando Scarpelli (local da partida de ida já na próxima quarta-feira), a agremiação das Laranjeiras garantiu o título naquela feita.

Outro ponto que colaborou bastante para um respiro no caixa do Fluminense foi o crescimento do número de adesões ao programa Sócio-Futebol.

Segundo o portal Saudações Tricolores divulgou no final da noite de sexta, dos pouco mais de dez mil no início da atual gestão Mário Bittencourt, o número de inscritos, de acordo com o Portal de Transparência do clube, subiu para mais de 25 mil torcedores, o que gera uma receita de quase R$ 2 milhões a mais para os cofres da agremiação.

A ideia da diretoria é, até o final de 2020, ter 50 mil inscritos no programa Sócio-Futebol, cuja receita é exclusivamente destinada ao futebol profissional do Fluminense.

Para atingir esse objetivo, tem, como principal ação de impulsionamento, o retorno do centroavante Fred. Entre o Tricolor e o atleta, já está tudo acertado, mas o negócio só será oficializado após o camisa 9 conseguir a sua liberação do Cruzeiro, algo ainda sem prazo para acontecer.

Pelo Estadual do Rio, Flu encara o Resende no domingo

Paralelo à Copa do Brasil e ao sonho dos 50 mil sócios, o Fluminense também pensa no Campeonato Carioca e, no domingo, às 18 horas (de Brasília), pela segunda rodada da Taça Rio, returno da competição estadual, encara, no Maracanã, o Resende. Na estreia, o Tricolor, no mesmo local, goleou o Madureira.

Para o compromisso deste final de semana, a boa notícia será o retorno de Michel Araújo. Recuperado de uma virose, o meia uruguaio, que desfalcou a equipe nos últimos dois jogos, participou normalmente da atividade realizada no CT Carlos Castilhos na manhã da última sexta e se colocou à disposição para ser escalado. A tendência, porém, é de ele ficar como opção no banco de reservas.

Em contrapartida, o zagueiro Digão, com um edema na coxa direita, não estará em campo e, de antemão, já é dúvida para quarta, em Florianópolis, diante do Figueirense pela Copa do Brasil. Sem ele, o técnico Odair Hellmann está na dúvida se escala Matheus Ferraz ou Luccas Claro para formar, ao lado de Nino, o sistema defensivo da equipe.

Somando três pontos, o Fluminense divide a liderança do Grupo B da Taça Rio com o Volta Redonda.

Não perca a nossa página no Facebook!