Em entrevista publicada na tarde desta sexta-feira ao jornal “O Globo”, Carlos Augusto Montenegro criticou o fato do comitê do Flamengo ter organizado uma tentativa de retorno aos treinos. O presidente do rubro-negro, Rodolfo Ladim chegou a acionar até mesmo o governador Wlson Witzel para poder realizar partidas sem torcida na Gávea. Vale lembrar que Witzel está infectado pelo novo coronavírus, sendo o primeiro caso confirmado entre os governadores.

Montenegro disse que devido ao fato de o Flamengo ter passado por uma tragédia recente com os garotos do Ninho do Urubu, esperava-se uma postura diferente do time.

Para ele, colocar os jogadores em campo é o mesmo que arriscar novamente a vida dos atletas.

Na mesma entrevista, o dirigente do Botafogo chegou a indagar o porquê de tanto interesse em jogar e completou questionando se, para o Flamengo, o Campeonato Carioca é a mias importante que a segurança de seus jogadores. Montenegro também disse achar ridículo o fato do clube ter acionado o governador, até mesmo porque o Witzel está infectado pelo novo coronavírus.

O alvinegro ainda disse que se o Flamengo retornar aos jogos estará automaticamente assumindo o risco de uma nova tragédia. "- Se fizer isso, ele (Flamengo) está preparando uma outra tragédia. Agora, calculada", disse.

É uma falta de sensibilidade e respeito à vida humana.

Montenegro disse ficar envergonhado e chateado com a atitude tomada pelo clube.

Questionado sobre a posição do Botafogo, o dirigente disse que o time não participará de jogos e nem mesmos de treinos. Segundo ele, o Botafogo não fará seus atletas saírem de casa antes que o Ministério da Saúde, médicos, secretários estaduais e municipais autorizarem as pessoas a saírem.

Inicialmente, Flamengo, Botafogo e Fluminense tinham a mesma posição quanto ao decreto de pausa das atividades. Todos os clubes haviam concordado em esperar um aval das autoridades competentes. Após a mudança de posicionamento do Flamengo, o dirigente do Botafogo disse ainda que se o rubro-negro quiser dar sequência ao Campeonato Carioca, que ele vá na companhia dos menores times e com aqueles que quiserem ir.

Montenegro finalizou garantindo que o Botafogo não participará.

A tragédia no Ninho do Urubu

No dia 8 de março de 2019, um incêndio no local atingiu o Ninho do Urubu. Segundo a perícia, as chamas podem ter sido provocadas por um curto-circuito em um ar-condicionado. Parte dos alojamentos foi destruída, dez pessoas morreram e três ficaram feridas.

Os atletas que morreram eram jovens entre 14 e 16 anos de idade, e jogavam na base do time. As vítimas foram Athila Paixão, de 14 anos, Arthur Vinícius de Barros Silva Freitas, de 14 anos, Bernardo Pisetta, de 14 anos, Christian Esmério, de 15 anos, Gedson Santos, de 14 anos, Jorge Eduardo Santos, de 15 anos, Pablo Henrique da Silva, de 14 anos, Rykelmo de Souza Vianna, de 16 anos, Samuel Thomas Rosa, de 15 anos, e Vitor Isaías, de 15 anos.

Pouco mais de um ano após a tragédia, o clube carioca segue negociando uma indenização com familiares das vítimas. A proposta do clube é de R$ 10.000,00 mensais com auxílio.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Flamengo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!