O Presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), buscou o apoio de técnicos pela retomada do futebol, mesmo em meio ao crescente número de casos de coronavírus no Brasil. Mas, de acordo com o site UOL, a resposta não foi exatamente a esperada pelo mandatário.

De acordo com os técnicos ouvidos pelo site, Bolsonaro ouviu que "ainda não é hora" de discutir sobre o retorno do esporte. Nos bastidores existe o temor de que um possível reinício dos campeonatos, mesmo que de portões fechados, possa causar uma proliferação mais acelerada da doença.

O presidente disse que já havia telefonado anteriormente para o técnico do Grêmio, Renato Gaúcho, que teria revelado o receio, especialmente dos atletas, pela retomada do esporte.

Bolsonaro defende o retorno do Futebol, chegando a afirmar que o risco dos jogadores morrerem de Covid-19 é bastante pequeno. Mesmo sem apresentar nenhum estudo científico, o presidente afirmou que a juventude e o bom condicionamento físico diminui o risco de os atletas serem infectados. A proposta dele é que o futebol seja retomado imediatamente, sem a presença da torcida.

Jogadores

A posição dos técnicos é a mesma dos jogadores de futebol, que também são contrários ao retorno imediato do esporte.

Na última segunda-feira (4), a Federação Nacional de Atletas Profissionais (Fenapaf) divulgou um vídeo onde vários jogadores de futebol se posicionam sobre o assunto. Eles fizeram críticas ao projeto de lei 2125/20 que pede o retorno do esporte, mesmo em meio a pandemia de coronavírus.

O vídeo teve a participação de atletas de grandes equipes como Diego e Everton Ribeiro, do Flamengo, Fernando Prass, do Ceará, Alecsandro, do CSA, Leandro Castan, do Vasco, Fernando Henrique, do Santo André, Réver e Victor, do Atlético-MG, Nenê e Hudson, do Fluminense, Bruno Alves, do São Paulo, Marinho, do Santos, Léo e Fabio, do Cruzeiro, e Felipe Melo, do Palmeiras.

Na mensagem, os jogadores lembraram que apesar do amor do brasileiro pelo futebol, nesse momento o mais importante é pensar na saúde de todos. Sobre o projeto de lei 2125/20 do deputado federal Arthur Oliveira Maia (DEM-BA), os jogadores criticaram o fato de não terem sido ouvidos em nenhum momento.

Paralisação

Os campeonatos de futebol estão suspensos no Brasil desde março, quando foram adotas as primeiras medidas de isolamento social por governadores e prefeitos. Desde então, clubes e federações pensam em alternativas para amenizar os impactos financeiros causados pela paralisação das competições.

Em abril, as equipes deram férias coletivas para jogadores, comissão técnica e demais funcionários, mas com o termino do prazo, os clubes buscam alternativas para a utilização dessa mão de obra.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Futebol
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!