Diego Armando Maradona morreu após sofrer um infarto enquanto dormia. De acordo com o resultado preliminar da autópsia, que foi revelado nesta quinta-feira (26) pelo jornal argentino La Nación, Maradona morreu em decorrência de uma “insuficiência cardíaca aguda, congestiva e crônica”, o que acabou gerando um acúmulo anormal de líquido no pulmão do ídolo argentino.

Segundo o jornal, a conclusão do laudo foi confirmada por ao menos cinco especialistas, entre eles um perito da família e médicos peritos oficiais. O corpo de Maradona foi submetido ao exame na unidade hospitalar de San Fernando.

Ainda de acordo com o publicado pelo jornal La Nación, dentro de uma semana exames toxicológicos também deverão revelar se o jogador ingeriu algum tipo de remédio, álcool ou drogas ilícitas antes de morrer.

Ambulância demorou para chegar, diz advogado

De acordo com uma nota divulgada por Matías Morla, advogado de Maradona, nesta quinta-feira (26), a ambulância demorou para chegar. Segundo Morla, por causa disso ele pedirá na Justiça que seja aberta uma investigação.

Em nota, o advogado do ídolo contou que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência “demorou mais de meia hora para chegar”. Além disso, o advogado do jogador também diz que este fato não pode ser esquecido, por isso, ele pede que as consequências disso sejam apuradas.

E mais, Morla também ressalta ser inexplicável o fato de seu cliente não ter recebido nenhum tipo de “atenção ou controle” da equipe dedicada a estes fins por cerca de 12 horas.

Últimos minutos de vida de Maradona

De acordo com o divulgado pelo jornal, peritos afirmam que o ídolo morreu às 12h da última quarta-feira (25), horário que bate exatamente com a chegada da polícia e da ambulância no local.

Segundo relato de testemunhas, o sobrinho do jogador foi o último a vê-lo com vida, isso às 23h da terça-feira (24). Os dois estariam em casa, mas não estavam sozinhos, já que também estavam presentes uma enfermeira, um segurança, uma cozinheira e uma assistente.

Por volta das 11h30 da quarta-feira, dia da morte do craque, a psiquiatra e o psicólogo pessoal de Diego Maradona chegaram à residência do futebolista.

No local, eles chamaram pelo ídolo, contudo, parecia que o mesmo estava dormindo, já que não respondeu.

Como o jogador não respondeu ao chamado dos profissionais, os mesmos chamaram por seu sobrinho e sua assistente, que também tentaram o acordar. Contudo, ao se darem conta de que o futebolista estava sem sinais vitais, eles chamaram por sua enfermeira e psiquiatra, que até chegaram a fazer algumas manobras cardiorrespiratórias, sem sucesso. Neste momento, a ambulância foi acionada.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Futebol
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!