O famoso cientista norte-americano Carl Sagan disse certa vez que “em algum lugar, alguma coisa incrível está esperando para ser conhecida” e sem sombra de dúvidas, a Terra está repleto desses locais singulares e a brasileira Karina Oliani, que é médica, atleta, apresentadora de televisão e linda, partilha da mesma opinião de Sagan, tanto que ela já escalou a montanha mais alta do mundo, o Everest na cadeia do Himalaia, mas dessa vez, ela escolheu um lugar que não se compara em altura, por outro lado, é o exemplo mais puro de religiosidade, misticismo e beleza encravado no meio das montanhas da Grécia Central.

Durante um período superior a 60 milhões de anos, o vento e a água esculpiram as rochas compactas, no que resultou em um dos locais mais paradisíacos de todo o mundo, cujo nome é Meteora, localizado especificamente na planície de Tessália, bem próximo ao rio Peneu, onde a energia mística e a história andam de mãos dadas por aquelas paragens.

No século 14 Meteora acabou reunindo uma grande coletânea de mosteiros da Igreja Ortodoxa Grega, um das maiores no mundo. Giorgios Kourelis, um dos guias especializados nativo, explica adicionalmente que devido à crise imensa pela qual passava o império bizantino naquela época, aliado a violência e a instabilidade política e social por causa da invasão dos turcos sobre a Grécia e Europa como um todo, os monges se desesperaram por proteger as suas próprias vidas e o lugar ideal encontrado para isso foi Meteora. Enfim, parece que a providência divina estava mesmo do lado dos gregos, pois além de seguro, o local até hoje é simplesmente inspirador.

No cume desses gigantes rochosos, foram edificados pelos religiosos 24 monastérios e a partir disso se entende melhor porque o local foi chamado de Meteora, que na língua grega original, traduzida é: "suspenso no céu".

Os melhores vídeos do dia

Muito embora, somente 6 igrejas estejam funcionando no período atual, as cidades em redor recebem mais de 1 milhão de turistas anualmente por causa do complexo ortodoxo em Meteora. Tanto é assim, que a união do sítio arqueológico e dos monastérios passou a constituir um patrimônio da humanidade segundo a Unesco e obviamente é um dos pontos mais importantes para o Turismo grego.

No passado, os padres chegavam ao topo escalando as montanhas, o que serviu como fonte de inspiração para Karina Oliani, que diz ter amado o lugar a primeira vista, algo que para ela virou uma obsessão para ser escalado. Nessa empreitada, Karina teve o apoio do experiente escalador grego Thanassis Sotiropoulos e do especialista argentino em filmar escaladores, Bernardo Gimenez.

A rocha imensa que foi escolhida se chama Psaropetra, que em uma tradução livre do grego pode ser entendida como "Cálice"; enfim, são 140 metros de altura, havendo uma fenda de três metros entre as duas pedras. O desafio em questão teve de ser fracionado em seis partes pela brasileira Karina e sua destemida equipe.

O mais curioso e talvez de algum modo, o mais emocionante é que obedecendo os costumes locais, os alpinistas puderam encontrar um livro no topo da montanha e registrar que a missão pode ser completada com sucesso. Karina resumiu a experiência do começo ao fim muito bem nas seguintes palavras literais: “que lugar incrível, que sensação. Parece que a gente tá perto do céu. Foi difícil, preciso de muita força e técnica, mas valeu a pena contrair cada músculo para chegar aqui em cima”. De fato, só a terra dos deuses, poderia proporcionar uma aventura tão inesquecível como essa!