O Ecoturismo no Rio de Janeiro é algo que vem crescendo com a procura de novas aventuras, apesar da cidade ser conhecida por suas belas paisagens, normalmente o destino dos turistas acaba nas areias das belas praias da costa. Este artigo, no entanto, foi criado para demonstrar que há uma beleza surreal nas matas cariocas, principalmente na Floresta da Tijuca, que atravessa quase toda a cidade, sendo a 4ª maior área verde urbana do país, que possui 3.972 hectares. Na Floresta da Tijuca estão disponíveis diversos picos de fácil acesso para uma vista diferente da cidade. Neste caso a vista das maravilhosas das praias espalhadas pelo Rio de Janeiro de cima sendo completada com a beleza indescritível da floresta.

A seguir será listado e explicado através de um pequeno texto alguns pontos de ecoturismo da cidade do Rio de Janeiro

1- Morro da Urca

O Morro da Urca é um morro situado no bairro da Urca, na Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro. Com 220 metros de altitude, é um dos morros que compõem o Pão de Açúcar, um dos cartões-postais da cidade.

O acesso ao início da trilha para o morro é feito ao lado esquerdo da praia pela Pista Claudio Coutinho, a mesma pode ser realizada entre 30 e 45 minutos dependendo do seu preparo físico.

Em si, a trilha é considerada leve. Próximo de terminar a trilha encontra-se um mirante para fotos, e em seguida chega-se a portaria para entrada na área do bondinho. A entrada é gratuita porem não pode ter metais perfurantes, armas de fogo e alimentos sendo portados.

Como chegar:

Metrô / Ônibus: Siga de Metrô até a Estação Siqueira Campos. Na Rua Nossa Senhora de Copacabana em frente a saída do Metrô da Rua Figueredo Magalhães, pegue o ônibus circular número 581 até a Praia Vermelha na Urca.

Carro: No bairro da Urca, siga até a Praça General Tibúrcio na Praia Vermelha.

A praça fica em frente a Estação do bondinho para o Pão de Açúcar. O local possui estacionamento.

2- Pedra do Telégrafo

A Pedra do telégrafo localiza-se no Parque Estadual da Pedra Branca, em Guaratiba, na Zona Oeste do Rio. É conhecida nacionalmente pelas fotos tiradas na mesma na qual causam impressão de serem tiradas de um abismo, a mesma possui uma vista perfeita de suas praias secretas abaixo, porém o tempo de espera na fila é de aproximadamente 3 horas em dias e horários de pico, algo que é recompensado pelas incríveis fotos tiradas no local.

O acesso à trilha é feito por um morro de paralelepípedo, situado cerca de 50 metros da praia da Barra de Guaratiba, a trilha em si é considera de nível médio, durando cerca de 40 até 60 minutos para ser concluída até o ponto principal. Entretanto, existe um caminho sinalizado por placas que leva o turista a três incríveis praias secretas.

Como chegar:

Metrô/Ônibus: A linha de ônibus Marambaia-Castelo (874A) leva até a Barra de Guaratiba. O acesso é feito pela Rua Almirante Carlos Tinoco (um pouco antes dessa praia).

Seguir até o nº 385, continuar a subida pela Rua Chico Buarque de Holanda, até o início da trilha à direita

Carro: Seguir pela orla até o final da Praia de Grumari e subir a serra a direita até chegar a Estrada Burle Marx. Virar a esquerda e seguir até a Praia de Barra de Guaratiba. O acesso é feito pela Rua Almirante Carlos Tinoco (um pouco antes dessa praia). Seguir até o nº 385, continuar a subida pela Rua Chico Buarque de Holanda, até o início da trilha à direita.

3- Vista Chinesa

A Vista Chinesa é um mirante em estilo chinês localizado no bairro do Alto da Boa Vista, na cidade do Rio de Janeiro.

Lá do alto você tem uma visão privilegiada do Cristo Redentor, Baía de Guanabara, Pão de Açúcar, Lagoa Rodrigo de Freitas, Praias de Ipanema e Leblon, além do Morro Dois Irmãos. Todos ícones cariocas.

O local possui estacionamento público de graça, não sendo necessário fazer a trilha para chegar ao mirante.

Dica: Vá cedo e tente aproveitar a linda vista do nascer do sol, e, em seguida, deslocar-se para alguma das muitas Trilhas da floresta da tijuca.

Como chegar:

O caminho mais rápido para quem está na Zona Sul é pelo bairro do Jardim Botânico, pela Rua Pacheco Leão e estradas da Castorina e da Vista Chinesa.

A partir da lagoa, a corrida de ida e volta de táxi fica em torno de R$40 a R$50, dependendo do tempo de espera no mirante.

Quem vem da região da Tijuca ou Barra, pode-se pegar a Rua da Boa Vista ou Estada das Furnas e chegar à Vista Chinesa por outro lado.

4- Pedra Bonita

A trilha da Pedra Bonita está localizada dentro do Parque Nacional da Tijuca, Setor C, precisamente entre a Pedra da Gávea e os bairros de São Conrado e Barra da Tijuca.

A trilha é considerada de grau leve, com duração de 30 a 50 minutos. a trilha tem início abaixo do estacionamento, na subida do morro, que dá acesso a pista de voos de asa delta e parapente.

O estacionamento possui taxa de uso de R$5.00, quem não subir de carro até o estacionamento terá de encarar uma subida íngreme de aproximadamente 15 minutos, e acessar a trilha em uma cabine de identificação à direita, quase no estacionamento.

A pedra em seu topo possui uma grande área sem vegetação proporcionando uma incrível vista da Pedra da Gávea, praia de São Conrado e da Barra da Tijuca, podendo ver também os voos abaixo em direção a São Conrado.

Dica: Chegue no início da tarde, por volta de 13h, leve lanches e aproveite por algumas horas a pedra. Por ter uma área relativamente enorme, é possível por volta das 15h tirar fotos sem pessoas ao fundo em diversos pontos da pedra.

Como chegar:

Ônibus: Pegue qualquer ônibus que te leve para São Conrado. De lá você tem que pegar a linha 448 Macaraí x São Conrado. Essa linha vai te levar para a entrada da subida do estacionamento da pista de voo livre. É uma subida chatinha para fazer a pé, mas se você não estiver de carro, não é o fim do mundo também.

Carro: Para chegar na Trilha da Pedra Bonita, partindo da Zona Sul do Rio de Janeiro, você precisa pegar a auto estrada Lagoa – Barra. Caso você venha da Barra da Tijuca, é só pegar o retorno quando chegar em São Conrado. Lá no final, terá a saída (a direita) para o Joá. Essa já é a estrada das Canoas e subindo um pouco você já chega na interseção para a Estrada da Pedra Bonita, que fica a esquerda (você precisa cruzar a estrada, então cuidado).

5- Pedra da Gávea

Pedra da Gávea é uma montanha monolítica na Floresta da Tijuca, no Rio de Janeiro. Composta por granito e gneisse, a sua elevação é de 844 metros, tornando-se o maior bloco de pedra à beira-mar do mundo, chamado assim pela semelhança com a gávea, cesto para observação situado no mastro das caravelas portuguesas. Conhecida como a cabeça do imperador, o lado da Pedra oposto ao mar aparenta o formato de um rosto, e, por isso, era chamada pelos índios de "Metaracanga", a cabeça enfeitada.

A trilha é pesada e longa, com aproximadamente 1.7 km e duração média de 3h a 4h de trilha. Embora possua alguns pontos de referência durante o trajeto, a constante erosão do terreno, acaba deixando a trilha um pouco mais complicada, com alto risco de se perder do caminho.

Observação: A Pedra da Gávea é hoje uma das montanhas mais frequentada do Rio de Janeiro, e talvez do Brasil, mas conta com uma triste estatística: é também a montanha onde acontece o maior número de acidentes no Brasil. Estes acidentes muitas vezes são causados por pessoas com pouca ou sem nenhuma experiência que se arriscam andar por suas inclinadas encostas em busca de aventuras, mas infelizmente sem equipamentos adequados e sem a companhia de uma pessoa mais experiente para orientá-los.

Como chegar:

Metrô / Ônibus: Seguir de Metrô até a Estação Jardim Oceânico ou de ônibus até o início da Barra da Tijuca.

Seguir para a Barrinha (sub-bairro da Barra da Tijuca). A melhor opção é pegar um táxi até o final da Rua Sorimã, ou fazer uma longa caminhada até o início da trilha.

Carro: Vindo da Zona Sul, ao chegar na Barra da Tijuca, entrar na primeira rua a direita em direção a Barrinha (sub-bairro da Barra da Tijuca). O acesso à trilha fica no final da Rua Sorimã e há estacionamento.

6- Corcovado

O morro do Corcovado possui 710 metros de altura e encontra-se no Parque Nacional da Tijuca. O Corcovado situa-se ao oeste do centro da cidade, mas mesmo assim pode ser observado desde longas distâncias.

A trilha para o Morro do Corcovado tem acesso pelos fundos do Parque Lage.

A trilha é considerada semi-pesada com dois trechos: o primeiro considerado leve e a segunda metade considerada semi-pesada pelas inclinações e subidas. A trilha tem média de duração de duas ou três horas.

Dica: chegue cedo e aproveite o Parque Lage na ida ou até mesmo na volta para descanso.

O retorno pode ser realizado pelo bondinho, pagando a taxa de uso ou até mesmo pela beirada do trilho caso não queira entrar novamente na trilha.

Obs.: a trilha encontra-se em constantes mudanças de rotas por causa de deslizamentos e quedas de árvores. A sinalização acaba ficando precária em algumas áreas.

Como chegar:

Metrô/Ônibus: Saltar do Metrô da Estação Botafogo ou Gávea e seguir de ônibus direção Jardim Botânico.

Saltar na frente do Parque Lage, que fica na Rua Jardim Botânico.

Carro: Seguir para a Rua Jardim Botânico e entrar no Parque Lage, que fica do lado direito dessa pista, sentido Gávea. Há estacionamento no local.

Horário de visitação Parque Nacional da Tijuca: 08:00 até 17:00 (18:00 em horário de verão)

PRESERVE A NATUREZA, RECOLHA SEU LIXO!

Leia também:

Conheça as belezas naturais do Rio de Janeiro sem gastar

Cinco pontos turísticos que você precisa conhecer no Rio de Janeiro

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo