Na manhã desse domingo, a CNN divulgou a notícia de mais um avião desaparecido, que decolou de território asiático. O voo QZ-8501, Airbus A320-200, da AirAsia, que transportava 162 pessoas (cento e cinquenta e cinco passageiros e sete tripulantes), decolou da Indonésia com destino a Cingapura e desapareceu dos radares da Torre de Controle Aéreo da Indonésia, entre 6h e 6h30 (hora local), na manhã de hoje (28).

Entre as 162 pessoas a bordo estavam cento e cinquenta e seis indonésios, um francês, um malaio, três coreanos e um cingapuriano. Destes, seis são menores de idade e há um bebê de menos de 1 ano.

O voo, que partiu de Surabaia às 5h20, estava previsto para aterrizar às 8h30 em Cingapura, fez último contato com a torre às 6h12 e logo depois desapareceu dos radares.

A AirAsia e o Ministério de Transporte da Indonésia confirmaram que menos de uma hora após decolar de Surabaia, o piloto pediu permissão à torre de controle para mudar a rota, devido ao mau tempo. O avião voava a 32 mil pés de altura e a permissão solicitada foi para voar a 38 mil pés.

As buscas, que estão sendo feitas por um Boeing 737 da Força Aérea da Indonésia, três helicópteros e seis navios, foram interrompidas hoje (já é noite na Indonésia, nove horas à frente do horário de Brasília) e continuarão a partir de 6h da manhã dessa segunda-feira (29). Segundo um funcionário da Agência Nacional de Busca e Resgate, acredita-se que o Airbus caiu no mar em um ponto entre 148 e 185 quilômetros da ilha de Balitung.

Em comunicado, o fabricante Airbus informou que o avião A320-200, da AirAsia, saiu de fábrica há seis anos e já tinha feito aproximadamente 23 mil horas de voo.

Os melhores vídeos do dia

No momento, cerca de seis mil A320 estão em serviço, operados por trezentas companhias aéreas.

Avião da Malasya Airlines

O primeiro avião desaparecido esse ano, após decolar de um aeroporto na Ásia, foi o da Malasya Airlines. O voo MH370 decolou de Kuala Lumpur e não chegou a seu destino, Pequim (China). O avião e seus duzentos e trinta e nove passageiros a bordo estão desparecidos desde o dia 8 de março.