O secretário de Defesa dos Estados Unidos da América, Ash Carter, afirmou nesta quarta-feira (8) que o Pentágono tem observado um avanço da Al Qaeda nas regiões de conflito do Iêmen. Carter disse que um dos braços mais poderosos do grupo, a Al Qaeda na Península Arábica (Aqap), está se aproveitando da situação de instabilidade no País para aumentar sua influência na região, inclusive territorialmente.

O avanço da Aqap é preocupante, pois, além das ambições que o grupo possui regionalmente, o movimento tem pretensões relacionadas a ataques de alvos ocidentais, como o próprio Estados Unidos. Além disso, o colapso do governo central do País, juntamente com o avanço dos rebeldes houthis, mostra-se como cenário favorável para um avanço da organização na região, que tem passado despercebido até o momento.

Carter ainda afirma que os EUA, que tem combatido os militantes da organização terrorista através de ataques com drones, continuarão em seu objetivo de enfraquecer a Aqap e a ameaça representada pelos seus seguidores.

Os conflitos no Iêmen

O Iêmen, país que ocupa o sudoeste da Península Arábica, tem sofrido com disputas entre o grupo extremista de oposição ao governo - os Houthis - e as forças aliadas a Abdu Rabbuh Mansur Hadi, presidente eleito em 2012 e atual ocupante do cargo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

O País, que já era o mais pobre da região, tem sido constantemente bombardeado por uma coalizão liderada pela Arábia Saudita, que tem como intuito impedir o avanço dos rebeldes à região de maior importância do Iêmen, o porto de Áden, rota de navios petroleiros.

Além disso, uma série de combates terrestres entre os houthis e forças aliadas ao governo central tem deixado a população do País sem itens de necessidade básica, como luz, água e alimento.

A Cruz Vermelha prometeu, na última terça-feira (7), enviar à região cerca de 48 toneladas de suprimentos médicos e utensílios básicos, que devem chegar aos locais mais necessitados entre esta quarta-feira (8) e a quinta-feira (9). A entidade ainda tenta autorização para enviar um barco com cirurgiões para a região de Áden, em parceria com os Médicos Sem Fronteiras.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo