O National Geographic Museum (Washington) estreia a exposição Indiana Jones and the Adventure of Archaeology, um espetáculo interativo. Colabora com a iniciativa a produtora de George Lucas,proprietário do personagem, e o prestigiado Penn Museu de Arqueologia. "Indy éa história cool mais científica",dizem os organizadores da exposição que vai de 14 de maio de 2015 até 03 dejaneiro de 2016.

Paraver o único arqueólogo com chicote e medo de cobras (ofidiofobia), osvisitantes da exposição podem adquirir ingressos que chegam a custar até 15dólares. 

O doutor Henry Walton "Indiana" Jones Júnior,chamado de Indy pelos íntimos, nos leva há quase três décadas e meia, desde1981, a sonhar com mistérios, artefatos arqueológicos e mitologias.

Indy é umdos mais onipresentes personagens pop dos séculos 20 e 21. Indiana Jones possuiTwitter e uma Wiki labiríntica que parece uma caverna de alguma civilizaçãoperdida. Agora, Jones tem um site com interações didáticas com buscas aostesouros e sua própria exposição repleta de adereços, figurinos, conceitos dadireção de arte, maquetes e artefatos originais de todos os filmes: IndianaJones e os Caçadores da Arca Perdida (1981), Indiana Jones e o Templo da Perdição (1984) e Indiana Jones e a ÚltimaCruzada (1989).

Resultadode uma parceria da National Geographiccom a Lucasfilm, a exposição tem showsinterativos e emocionantes que desperta no público de todas as idades, especialmenteas crianças, o desejo de "ser como Indy". Coma ideia de apresentar a arqueologia como uma disciplina emocionante e aberta a aventuras,com lugares, sítios e pesquisadores reais que inspiraram roteiristas dos filmesde Indiana Jones, a exposição traz o personagem que revigorou o interesse pelaarqueologia em todo o mundo e "influenciou cientistas", segundo a diretora responsávelpelas exposições da National Geographic,Kathryn Keane. "ANational Geographic apoia e informasobre o trabalho dos Indianas Jones de carne e osso há mais de cem anos.

Aexposição é uma grande oportunidade para falar sobre algumas das históriasfascinantes de nosso passado e inspirar os futuros Indianas Jones", acrescentaKeane.

O fascínioque o personagem da ficção oferece é a "plataforma perfeita para falar dos arqueólogosreais e do que eles fazem", dizem os organizadores, que prometem aos visitantes"uma combinação da magia de Hollywood, da história e da ciência".

Com umamontagem inovadora desenhada pela empresa canadense de desenvolvimento de exposiçõesimersivas e interativas X3 Produções, a mostra reúne materiais das coleções dostrês museus: o Lucas Museum of Narrative Art(vestuários, fotografias inéditas, storyboards,...), a National Geographic Society (imagens, vídeos e reportagens) e o Penn Museum da Universidade da Pensilvânia(material arqueológico).

Montadocomo uma "aventura multimídia pelo apaixonante mundo do Doutor Jones", osvisitantes adentram salas utilizando um dispositivo interativo que,além de uma saudação de boas-vindas de Harrison Ford, permite acesso aosconteúdos audiovisuais para ajudar na navegação do Indy Trail (Caminho do Indy) por váriossítios arqueológicos.

A exposição "elucidamitos associados com famosas relíquias da ficção" que têm desempenhado papéis fundamentaisnos filmes, por exemplo, a "Arca da Aliança" e o "Santo Graal", e exploralugares míticos onde foi desenvolvida a ação, como Akator e Mayapore

Para uma experiência online que permite aproximar-se do conteúdoda mostra, tem o site multimídia com várias seções: a caça ao tesouro, mergulhono passado, a investigação e resolver o mistério. 

Siga a página Curiosidades
Seguir
Siga a página Cinema
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!