O que parece improvável e extremamente absurdo, aconteceu em um hospital no México. Estudantes de Medicina que faziam residência no hospital de Saltillo, capital do estado de Coahuila no México, foram totalmente displicentes. Os futuros médicos estavam fazendo um parto e logo após o nascimento do bebê, cometeram um erro grotesco, cortaram o pênis do recém-nascido achando que era o cordão umbilical. Estas informações foram dadas pelo Jornal The Sun.

O órgão sexual da criança foi quase decepado e ao perceberem o grave erro, esconderam o fato dos pais e disseram que o bebê teria que passar por uma cirurgia de emergência para reparar uma lesão, na tentativa de solucionar o problema ocasionado sem chamar a atenção.

Entretanto, a sequência de erros não parou por aí, quando começaram a fazer a sutura, causaram mais duas lesões no órgão genital do bebê, de aproximadamente 02 cm de profundidade cada.

O pai da criança começou a desconfiar que tinha algo de errado, pois negavam a ele o direito de ver seu filho e não lhe davam notícias sobre o que estava acontecendo. A cirurgia de reparação durou mais de duas horas, neste período os pais ficaram sem nenhuma informação do menino.

Quando os pais ficaram sabendo sobre o que aconteceu com bebê entraram em desespero e ficaram muito revoltados. Embora os estudantes tenham conseguido reverter a situação e costurado o pênis do menino, a fúria dos pais não foi aplacada. A mãe da criança Zulem Contreras estava inconformada, pois seu parto foi feito apenas por residentes, ou seja estudantes de medicina, ela e o filho não foram assistidos por um obstetra e por um pediatra conforme recomenda a OMS (Organização Mundial de Saúde).

O Instituto Mexicano de Segurança Social informou através de uma nota oficial que "de acordo com informações apuradas, durante o trabalho de parto, ao cortar o cordão umbilical da criança, o prepúcio foi lesionado, porém a situação foi devidamente contornada, com o procedimento habitual de circuncisão do bebê".

A direção do hospital informou que já iniciou as apurações para que os responsáveis sejam punidos.

As autoridades policiais também estão investigando o caso.

Não perca a nossa página no Facebook!