A descoberta de uma vala comum ilegal no Norte do México foi anunciada hoje pelas autoridades mexicanas. Já foram encontrados cerca de 31.000 fragmentos de ossos, que correspondem a cerca de 31 pessoas. Um caso bastante semelhante ao do ano de 2013, ondeforam encontrados os corposde 64 pessoasnuma vala comum, entre os estados de Jalisco e Michoacan. As autoridades mexicanas não prestaram mais declarações, mas sabe-se que os fragmentos dos ossos, bem como as roupas, encontrados no local estão sendo enviados para análise de ADN e respectiva identificação, para o Hospital universitário de Monterrey, a cidade mais próxima do local onde foi encontrada a vala.

Segundo Consuelo Morales, dirigente da Human Rights Watch no México, “já foram identificados os perfis genéticos de 31 pessoas. Foi o que o procurador nos disse”, em declarações acerca da vala comum ilegal encontrada numa casana cidade Salinas Victoria (estado de Nuevo Léon), no México. Essa vala comum, localizada a 35 quilômetros de Monterrey, foi descoberta pelas autoridades no decorrer de uma investigação apoiada nos relatos de vítimas e de criminosos detidos. Consuelo Morales referiu também que a Human Rights Watch já teria alertado as autoridades para a existência desta vala comum ilegal na casaque agora se encontra sobre investigação, uma denúncia que já tinha sido feita em janeiro.

O enterro das vítimas não identificadas em valas comuns é uma prática bastante realizada pelos cartéis de droga mexicanos, que afetam todo o México, não só com o narcotráfico, mas também com as guerras entre cartéis. Desde 2006 que onúmero de desaparecidos e assassinatos tem aumentandoa um ritmo muito elevado, passando o número de vítimas de dezenas a milhares. O Estado de Nuevo Léon, onde se situa a vala comum onde foram encontrados 31.000 fragmentos de ossos (segundo Consuelo Morales), não escapa aos efeitos nefastos das guerras entre os principais cartéis de droga, instalados neste estado, sendo eles: os Los Zetas e o Cartel do Golfo.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Polícia

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo