Sofia Gonçalves de Lacerda, de um ano e oito meses, faleceu na madrugada desta segunda-feira, 14, no hospital Jackson Memorial, em Miami, Estados Unidos. A criança, que estava internada desde julho, recebeu vários órgãos de um bebê americano e não resistiu a infecção pulmonar contraída após o procedimento cirúrgico.

A menina, que morava na cidade de Votorantim, interior de São Paulo, emocionou os brasileiros nas redes sociais ao ter o seu problema de saúde - a síndrome de Berdon - divulgado pela mãe, Patricia de Lacerda, por meio da página "Ajude a Sofia".

O médico que esteve à frente do caso nos Estados Unidos, o brasileiro Rodrigo Vianna, se pronunciou nas redes sociais sobre o falecimento do bebê: "Triste dia. A Sofia foi a primeira criança a morrer aqui em 2015. Nós estávamos do lado dela e de seus pais na hora da morte. Como médico, meio titio e pai de três filhos, a nossa profissão tem momentos lindos de cura, mas também momentos de extrema dor (...) Ela tinha uma alegria incrível e deixará saudades. Mas a vida é assim, cheia de mistérios, obstáculos.

A perda de um filho talvez seja o maior deles todos (...) Descanse em paz bonequinha. Tenho certeza que irás arrancar um largo sorriso de Deus com a tua alegria e sorriso contagiante".

Assim que a informação do óbitoda menina foi postada na página "Ajude a Sofia",milhares de internautas comovidos enviarammensagens de apoio aos pais.O advogado da Família disse que ainda não existe uma definição se o corpo será velado no Brasil. De acordo comMiguel Navarro, a liberação do cadáversó deve ocorrer em até cinco dias, caso seja trazido para o território nacional.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Relacionamento

Entenda o caso

Devido a complexidade dasíndrome de Berdon, uma doença rara, que pode surgir logo após o nascimento e que envolve uma série de malformações do trato digestivo e urinário, os médicos estimaram que Sofia nãochegaria a umano de idade. Contudo, a menina completou seu primeiro aniversário em dezembro de 2014.

A mãe iniciouentão uma campanha na rede chamada "Ajude a Sofia", visandoarrecar fundos elevar o bebê aos EUA para tratar a enfermidade por meio de um transplante multivisceral. Ao todo, a família angariou R$ 1,8 milhão.

Mas os pais também acionaram aJustiça para que o governo brasileiro pagasse o valor da cirurgia.

Depois de uma batalha judicial, a família conseguiu que o governo brasileiro arcasse com os custos da viagem e o tratamento, totalizando um montante de U$ 1,2 milhões - 2,4 milhões de reais na cotação da época.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo