A secretária da ONU para o Clima, Christiana Figueres, declarou na segunda-feira (31/08) que a Organização não possui dinheiro suficiente para organizar a próxima sessão de negociações, prevista para outubro em Bonn, na Alemanha, e a COP21, conferência do clima em Paris, durante o mês de dezembro. Ao todo, 195 países são esperados para o evento na capital francesa, onde a expectativa é concluir um novo acordo para solucionar a crise climática internacional.

Figueres divulgou a situação ao abrir a penúltima sessão de negociações, que também teve início na segunda-feira (31/08) em Bonn. “Lamento informá-los que temos um déficit de 1,2 milhão de euros (1,3 milhão de dólares) apenas para cobrir as sessões previstas no calendário", alertou a secretária. Ela ainda solicitou que "os países que possam contribuir que o façam". 

Durante as sessões de negociações, representantes dos países discutem os pontos-chave para a assinatura de um acordo climático na França, com o objetivo de regular as emissões de dióxido de carbono na atmosfera nos próximos anos.

Até o momento, o documento é nomeado como Acordo de Paris

Texto resumido

Durante o mês de fevereiro, em Genebra, o texto original para a conferência de Paris começou a ser elaborado. Com 85 páginas, o documento foi considerado inviável para um acordo que abrange vários países, e desde então vem sendo resumido em três partes: conteúdo essencial, elementos que complementam o acordo (a exemplo da redução da emissão de gases de efeito estufa antes de 2020) e assuntos fundamentais para 2050 (ressarcimento dos países ricos às nações pobres em virtude das mudanças climáticas impossíveis de adaptar-se). 

O objetivo é afinar o documento antes da Conferência de Paris, para que a COP21 resulte em um acordo eficaz.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Curiosidades

Segundo o analista sênior de clima da organização WWF, Mark Lutes, “Quem quer substância em Paris vai querer fazer as coisas rápido”. 

Clima político

Recentemente, a mobilização em torno da crise climática passou a abranger novos segmentos da sociedade civil internacional. Os líderes religiosos do catolicismo, judaísmo e islamismo alertaram os seus seguidores sobre a necessidade de impedir o aumento da temperatura no planeta.

Em julho deste ano, Brasil e Estados Unidos decidiram produzir energia elétrica com 20% de fontes renováveis.

Mobilização

No dia 27 de setembro, será realizado o “Paris sem Carro”, iniciativa que busca chamar a atenção para a poluição nas grandes cidades. A concentração de automóveis nos centros urbanos é uma das causas da emissão de dióxido de carbono na atmosfera.

Em meio à falta de dinheiro da ONU para a conferência do clima, ações políticas favoráveis entre países e líderes religiosos favorecem o debate sobre a resolução da crise climática.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo