Harry S., um ex-membro do Estado Islâmico, que se encontra preso na Alemanha, revelou como o #Estado Islâmico tencionava provocar o caos na #Europa. Em declarações ao jornal alemão “Der Spiegel”, o antigo terrorista afirmou que apenas aguentou ficar na Síria por três meses, desistindo por causa do excesso de violência e brutalidade. Atualmente preso por ter participado do maior grupo terrorista do mundo, Harry diz que foi enganado pela propaganda do Estado Islâmico.

O antigo terrorista garantiu que os ataques estão sendo planejados para a Europa, é esse o objetivo principal do Estado Islâmico, que já garantiu que queria dominar grande parte do território europeu até 2020.

Para isso, segundo os testemunhos de quem conviveu diariamente com os responsáveis, o grupo está tentando recrutar europeus que tenham grande conhecimento em vários aspectos essenciais.

Querendo agora colaborar ao máximo com as autoridades europeias, como garante o site “Notícias ao Minuto”, Harry S. afirma que o grande ataque será coordenado para ser realizado ao mesmo tempo, em várias zonas da Europa, conseguindo assim o máximo de vítimas possível e também o maior caos. Com os constantes ataques às suas base, o risco do Estado Islâmico lançar um ataque em massa em território europeu é cada vez maior, sobretudo agindo em desespero, tal como já aconteceu anteriormente.

“Só precisas de uma faca grande. Sai na rua e mata o máximo de infiéis possíveis”, revelou Harry S. pouco tempo depois de chegar à Síria, confessando que a violência é de tal ordem que teve que fugir na primeira oportunidade.

Os melhores vídeos do dia

O agora colaborador  das autoridades europeias chegou a ser filmado em um dos muitos vídeos de propaganda do Estado Islâmico onde, nos três meses em que esteve na Síria, apareceu agarrando a bandeira do maior grupo terrorista do mundo. Com várias ameaças semanais, a Europa, principalmente Reino Unido, França, Itália e Bélgica parecem ser alguns dos países que estão especialmente em alerta para as movimentações de radicais em seus territórios. #Terrorismo