Poucos dias atrás, na cidade chilena de Concepción, aconteceu algo no mínimo inusitado e que, apesar de ter se originado de um fato triste, a lição que deixou a todos acabou por humanizar um pouco mais as relações de respeito e dedicação entre as pessoas neste final de 2015, tanto que a notícia tornou-se rapidamente um viral na internet.

Nas ruas do centro da cidade, vive Mireya, uma mulher sem-teto, com 65 anos de idade, que é uma das personagens mais conhecidas e gentis para com todos daquela localidade.

Ela geralmente cumprimenta as pessoas que passam por ali e até os surpreende, oferecendo um presentinho qualquer. A mulher está sempre ladeada pelos seus fiéis cachorros, que a seguem por toda parte.

Diante do mar de gente que fazia as compras na véspera do dia de Natal, bandidos roubaram uma bolsa grande e surrada de Mireya, que guardava todos os seus pertences. A senhora em questão, que padece de problemas mentais e que uma figura muito tranquila, ficou fora de si naquele momento. Ela começou a gritar desesperadamente, tirando peça por peça de suas roupas e encaminhou-se para a fonte existente na praça.

Foi, então, que uma policial feminina da região, a cabo Ângela Molina Martel, percebeu o que estava acontecendo.

A oficial Ângela Molina mais tarde se pronunciou a um jornal local dizendo: "Chegamos lá e vimos logo que era Mireya, pois ela é muito conhecida nas ruas daqui. Tentei tirá-la daquela cena, mas ela estava tão chateada e nervosa, que eu não consegui. Ela se batia e batia em todos, gritando e dizendo que a única coisa que queria, era a sua bolsa de volta”.

Ao perceber que a mulher não se acalmava e que não queria sair da fonte, a policial decidiu agir rapidamente: tirou as botas e dobrou as barras da calça do seu uniforme, entrando na água.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Relacionamento

Martel relatou o seguinte: “Tentava abraçá-la para que se acalmasse, porque estava agressiva. Eu a transmitia calma e tranquilidade. Graças a Deus que era eu e ela concordou em se sentar na beira da piscina. Posteriormente com a ajuda dos meus colegas das Forças Especiais, nós colocamos as roupas em Mireya, mas só que ela cismou de lavar os seus pés. Então, disse, Mireyita, eu vou lavá-los para você e assim, ela finalmente se acalmou”.

A policial conhece Mireya há muito tempo, uma vez que patrulha por anos, justamente o centro da cidade e nunca a tinha visto tão abalada emocionalmente.

A praça estava apinhada de pessoas, que assistiam a tudo, daí o interesse da policial de cobri-la e protegê-la rapidamente.

Os policiais chamaram uma ambulância para Mireya ser socorrida, eles conseguiram também um saco de pano para que a mulher guardasse o que lhe sobrou do assalto e os pedestres acabaram contribuindo com algumas mercadorias e objetos. Porém, o que fica claro neste contexto é que o gesto da policial mostra que uma “simples” ação altruísta pode mudar sensivelmente a forma como são vistos os desabrigados.

Claramente, este é um bom exemplo a ser compartilhado e seguido por todos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo