Uma Igreja lendária, com mais de mil anos de existência, está sendo acusada de manter práticas de maus tratos físicos contra crianças do coral, na Alemanha. Uma investigação comandada pelo bispado da região de Regensburg, na Baviera, sul da Alemanha, divulgou que 231 estudantes do coral (entre 10 e 19 anos)foram abusadas fisicamente. O advogado responsável por comunicar os resultados na entrevista coletiva, Ulrich Weber, deu um dado ainda mais preocupante: durante o mesmo período, há 50 denúncias de abuso sexual.

A cidade de Regensburg fica acem quilômetros de Marktl, cidade natal deJoseph Ratzinger, que foi o Papa Bento 16. O irmão mais velho de Joseph, Georg, foi o mestre do coral de Regensburg entre 1964 e 1994, ou seja, durante a maioria do período.

As primeiras denúncias aconteceram em 2010 e, em fevereiro do ano passado, as autoridades católicas da região divulgaram haver 72 vítimas confirmadas.Naquela época,um ex-membro do coral, o compositor Franz Wittenbrink, relatou em entrevista à revista alemã "Der Spiegel", que no coral havia um"sistema de castigos sádicos, relacionados com o prazer sexual".

Ainda na mesma entrevista, comentou sobre o comportamento violento do irmão do ex-Papa. Relatos de abusos sexuais e físicos com crianças assolam o Vaticano há muito tempo.

Em 1996, um arcebispo dos Estados Unidos relatou que o padre de umaigreja no estado de Wisconsinhavia abusado de mais de 200 crianças. Na Itália, em 2009, vários deficientes auditivos relataram ter sido molestados na infância, entre 1950 e 1980, noInstituto para Surdos Antonio Provolo, na cidade de Verona.

Na Holanda, num escândalo em 2010 naescola do mosteiro de Don Rua, bispos pediram uma investigação independente depois de mais de 200 relatos de abusos sexuais de crianças por padres.Outros casos também foram relatados em paróquias na Áustria e Bélgica.

E no Brasil?

No Brasil, o maior país católico do mundo, existem inúmeras denúncias, como as imagens que flagraram o padreLuiz Marques Barbosa, de 82 anos, praticandosexo oral com um menino de coro em uma cidade de Alagoas.

Outros meninos, membros do mesmo coral, também relataram outros abusos na mesma igreja. Contudo, a pedofilia não é exclusividade da igreja, e um problema da sociedade. Em outros setores também há polêmicas, denúncias e escândalos.

Siga a página Religião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!