El Chapo é um dos traficantes mais procurados do mundo. Ou melhor, ele era. Isso porque a vontade de ficar famoso e a vaidade dele ajudaram a polícia a prendê-lo. O bandido tentava conseguir alguém para produzir para ele uma série ou um filme sobre ele mesmo. 

El Chapo é apenas o apelido de Joaquín Guzmán. Ele foi preso pouco tento depois de dar uma histórica entrevista para o ator Sean Peen e para a atriz Kate Del Castilho. Por conta do encontro, o governo americano investiga Sean. O conteúdo da conversa foi identificado recentemente, quando esta foi publicada pela revista Rolling Stones.

A conversa foi registrada antes da prisão de El Chapo, por isso, todo o reboliço em cima do ator.

Uma foto do encontro dos dois ganhou as redes sociais. No entanto, o traficante respondeu a boa parte das perguntas através de um vídeo, que também serviu para que o encontro realmente fosse creditado como válido. Afinal, o ator americano conseguiu um fato que ninguém havia conseguido. 

Segundo informações da jornalista Keila Jimenez, a entrevista ocorreu em outubro de 2015, dentro da floresta mexicana. E seriam justamente esses encontros secretos que ajudaram  a polícia mexicana a localizar o traficante. Penn, no entanto, não teria dito onde Ele Chapo estaria, mas acabou deixando migalhas pelo meio do caminho. 

Além da conversa, o traficante não escondia a vontade de ver sua obra ir parar no Netflix, assim como aconteceu com a vida do colombiano Pablo Escobar. Pelo trabalho, Wagner Moura concorreu ao Globo de Ouro de melhor ator.

Os melhores vídeos do dia

El Chapo ligaria constantemente para produtoras para tentar viabilizar o projeto. Basta saber se agora esse trecho da história interessa ao ex-criminoso mais procurado do mundo.

No passado, ele chegou a fugir de uma penitenciária de segurança máxima. Até um túnel de mais de um quilômetro foi construído para sua saída. Com medo de que isso ocorra novamente, o governo mexicano estuda agora fazer uma transferência de seu prisioneiro mais famoso para os Estados Unidos. Basta saber se o presidente americano Barack Obama vai autorizar tamanha transferência.