O grupo religioso norte-americano denominado "Testemunhas de Jeová", com filiais em outros 240 países e 8,22 milhões de adeptos, está distribuindo em seu site oficial um curta animado intitulado "Um homem e uma mulher", e este pequeno vídeo está causando polêmica por onde passa.

No curta, uma criança está participando de uma atividade na sala de aula onde é preciso desenhar a sua família numa folha de papel e pendurar em um mural da escola. Uma pequena jovem chamada Sofia então se aproxima e olha o desenho de um de seus colegas.

Ele é um desenho diferente dos demais: o menino está acompanhado de duas mães.

Chegando na sua casa, Sofia conta para sua mãe que viu o desenho do menino e suas mães. A mãe, mostrando-se surpresa, explica para a sua filha que o que importa mesmo é o que "Jeová [Deus] acha". Citando textos bíblicos, ela diz que Deus considera errado o relacionamento homossexual, pois desde o princípio fez Adão e Eva.

A mãe cita ainda um exemplo: "é como fazer uma viagem de avião. O que aconteceria se alguém tentasse entrar no avião com alguma coisa proibida?".

A criança responde: "a pessoa não ia poder entrar". Neste caso, o avião seria o paraíso (ou céu). Os homossexuais, na visão do vídeo, não teriam direito a serem salvos.

Para terminar, no entanto, a animação diz que existe a esperança de as pessoas mudarem, "por isso que a gente prega para elas", afirma a mãe, que inicia um treinamento com a filha Sofia para que ela fale sobre a palavra de Deus para o seu colega com duas mães.

Veja o desenho animado de cerca de 2 minutos completo:

Reação

Como já era de se esperar, a reação das pessoas está sendo forte.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Relacionamento

Apesar de Cleonice Feliciano, membro da religião, dizer que acha o vídeo lindo e que "temos que instruir nossas crianças", muitos classificaram o filme como "homofóbico". Em tempos de respeito ao próximo e a redefinição da palavra "família" pelo dicionário Houaiss, por exemplo, muitas religiões estão preparando um contra-ataque para o que chamam de "destruição dos valores familiares".

O vídeo está sendo exibido pelo site das Testemunhas de Jeová com dublagem para dezenas de línguas.

Na Rússia, ironicamente, o mesmo site já está proibido por acusação de conteúdo extremista.

No Brasil, organizações de defesa do público LGBT estão analisando se cabe processo contra a veiculação do material.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo