O Estado Islâmico é uma doutrina ideológica completa. Entre eles é usado uma regra com uma teologia, para conquista e subjugação dosnão-muçumanos. Essas leis são estabelecias por estados; se não forem usadas pelo grupo, a condenação pode ser até a morte.

A amputação é punição para crime de pensamento, crime político ou crime comum, como roubo, estabelecida no Alcorão 5:33 e 5:38 Sharia. Muitos casos já foram condenados e transmitimos ao vivo a quem não cumpre suas leis.

As imagens que foram distribuídas na internet sobre o decepamento no Estado Islâmico é mais uma medida tomada contra um homem que não faz parte dos grupos de crenças e não aceita as leis estabelecidasno país, sendo preso e tendo seus pés e mãos amputados.

Nas redes sociais, os militantes extremistas afirmaram que a vítima era um 'ladrão de estrada'. As imagens percorreram toda rede social e chamou a atenção de muitas pessoas.

O suspeito da foto aparece vendado em um vídeo, com um dosjihadistas acusando o homem em público e outros militantes apontando fuzisAK-47para ele. Qualquer movimento e ele seria exterminado, igual a muitos vídeos já vistos e publicados por eles, na qual os militantes colocam o indivíduo sobre uma pequena cadeira de plástico, onde tem suas mãos e pés decepados ao vivo na frente da população.

As fotos foram divulgadas pelo portal de notícias britânicoDailyMail um dia depois de o grupo terrorista ter compartilhado imagens de quatro homens sendo apedrejados por adultério. As leis deles têm que sercumpridas, pois o preço para quem não cumprir pode ser a morte em público. O objetivo do Islã é implementar a Sharia em todo o mundo.

Assim que a medida cruel foi tomada, os terroristas enfaixaram as feridas em carne viva com algodão, gaze e algumas faixas.

Então, ele foi colocado sobre uma maca e deixado exposto para “servir de exemplo” às pessoas que estavam presentes. Isso é a prova de mostrar que a lei para eles tem que sercumprida e que esses tipos de crimes são considerados "contra as regras divinas", de acordo com estudos islâmicos.

Não perca a nossa página no Facebook!