Maddox Lawrence tinha somente um ano de vida, quando foi assassinada por seu próprio pai. O homem de 25 anos, Ryan Lawrence, matou a menina com um taco de beisebol e teria se desfeito do corpo em seguida. A polícia encontrou o assassino usando um disfarce, três dias depois do desaparecimento da menina, em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América. No tribunal, o homem confessou o #Crime e poderá ser condenado a uma pena de cadeia de até 25 anos.

Matou a filha por ciúme

De acordo com o inquérito no tribunal, Ryan teria matado a própria filha "por sentir ciúmes" da menina que estava recebendo demasiada atenção. Tudo porque a bebê acabava de sobreviver a um câncer. A menina lutou e venceu um melanoma ocular, que lhe foi detectado ainda bebezinha.

O chamado "câncer do olho" afetou Maddox, mas com a ajuda de vários tratamentos, a criança conseguiu vencer a dura batalha contra o câncer.

Naturalmente, as pessoas estavam dando uma atenção especial para a menina, que tinha acabado de passar por um momento tão delicado na sua vida. No sentido contrário, Ryan estava sentindo cada vez menos atenções para ele, e teria sido por esse ciúme, e por um "ataque de raiva", que o homem teria assassinado a própria filha. A companheira de Ryan e mãe de Maddox, Morgan Lawrence, alertou as autoridades depois de encontrar um bilhete de Ryan indicando que ele estaria pensando em magoar a menina.

Depois, a polícia fez o resto e resgatou o corpo da menina depois de chegar ao criminoso, que acabou confessando todo o crime.

Matou a filha e queimou o corpo

Ryan matou a bebê com um taco de beisebol, com que bateu na cabeça da criança sobrevivente de câncer.

Os melhores vídeos do dia

Depois de morta, tentou se livrar do corpo. Para isso, queimou a menina em uma fogueira e jogou os restos em um riacho. A polícia ainda teria encontrado restos da menina três dias depois do crime.

No tribunal, Ryan confessou o seu crime e os contornos hediondos do mesmo. O seu advogado vai usar como defesa que o seu cliente estava passando por um momento de especial "angústia emocional extrema ou insanidade", de acordo com informações do Syracuse.com.

Apesar disso, o homem poderá apanhar uma pena de até 25 anos atrás das grades. #Justiça #Saúde