2

Com apenas 25 anos de idade, a britânica Ruth Sweet é uma jovem que já passou por sérios problemas de saúde por causa de uma doença que causa uma compulsão por arrancar seus próprios fios de Cabelos chamada ‘tricotilomania’. Por conta disso, a jovem chegou a ficar careca e, até mesmo, ter feridas no seu couro cabeludo.

Depois de dez anos com a doença, Ruth a superou, mas jamais esquece do longo e sofrido período que passou o qual ficou sem cabelos. Só então depois de curada, ela resolveu se casar. Isso por que seus cabelos voltaram a ser lindos e volumosos. O que a fez voltar a sua aparência atraente que sempre teve antes do problema.

Desde os seus 14 anos, Ruth foi diagnosticada com a tricotilomania, uma doença que atualmente não possui cura, mas tem tratamento. Ela é resultado de uma vida onde a pessoa vive situações de angústia e acaba buscando um conforto na compulsão por arrancar os fios. O problema, em seu estágio mais avançado, a pessoa pode chegar a arrancar os cílios e até mesmo os fios das sobrancelhas.

Segundo as informações do jornal ‘The Sun’, No caso de Ruth, a situação começou a se agravar depois que seus pais se divorciaram. Depois que ela assumiu o vício de arrancar os cabelos, ela ainda passou por outra fase ainda pior, a de sentir culpa e vergonha dela mesma por conta da doença. O que normalmente acontece com essas pessoas.

Embora existam especialistas que cogitam a possibilidade de que a doença seja passada geneticamente, outros a atribuem a problemas mentais ou apenas uma forma que os pacientes encontram de se automutilarem.

Os melhores vídeos do dia

Como foi o caso de Ruth, que arrancava seus fios até a sua cabeça sangrar, segundo o que ela conta.

“...eu iria puxar vários cabelos de cada vez. Minha cabeça chegava a sangrar...”, contou ela em entrevista quando admitiu que não conseguia parar de arrancar os cabelos antes de começar a fazer o tratamento. Apaixonada pelo seu amigo de infância, prometeu para si mesma que só ia se casar após estar totalmente curada. E foi isso o que ela fez.

Ruth, que mora em Leicestershire, na Inglaterra, chegou a gastar R$ 8 mil em tratamentos para conseguir ser curada. Depois disso, ao ver seus cabelos renovados e fortes, ela felizmente se casou. Porém, ela ainda deve ter que passar por tratamentos psicológicos para enfim ficar livre da doença por completo.

A doença acomete em especial mulheres jovens e adolescentes. As recomendações para os casos de suspeitas que existam algum tipo de problema semelhante na família ou com amigos é que a pessoa procure ajuda médica o quanto antes. O tratamento é a base de psicoterapias e uso de remédios quando necessário.